A incrível história do milagre da jovem bárbara imaculada de Carnaíba

Conheça a história da carnaibana, fruto de um milagre
Eu Josépha Bárbara Imaculada de Oliveira Barboza, nasci em 16 de setembro de 1986, desde pequena era obesa e tinha o sonho de ser magra. Em junho de 2011, resolvi realizar uma cirurgia para emagrecer a qual a princípio fiquei bem e seis meses após cheguei a perder 29kgs, sentia dores abdominais só que não relacionava com a cirurgia. Apareceu uma gravidez complicada, não sabia o porquê, mais Deus sabia o propósito daquele Ser inocente está sendo gerado em mim. Com o passar dos meses as dores foram aumentando e, o único diagnóstico que recebia era de cálculo renal. Com 35s fui mais uma vez internada com dores abdominais terríveis, bolava pelo chão já que era a única maneira que a dor aliviava um pouco, chorava de tanta dor, medicações eram feitas e a dor não passava, só aumentava. Fui encaminhada para o Hospital das Clínicas, fui examinada, realizei exames e fiquei internada.
No dia 04/09/12 foi marcado minha cesárea, mesmo correndo o risco já que era fora tempo, mais havia perdido líquido amniótico e não suportava mais as crises fortes. Ás 16:00hrs foi realizada minha cirurgia, minha filha nasceu parada (sem chorar). Olhando o desespero da pediatra reanimando a minha filha só clamei ao Senhor que Ele não a levasse, naquele momento ela reagiu e chorou, sendo encaminhada para UTI Neonatal. No pós-anestésico comecei a chocar, minha pressão ficou 70/40mmhg não lembro os procedimentos realizados nem como passei a noite. No dia seguinte muitos médicos estavam ao meu lado pra tentar descobrir o meu problema, quando um deles me perguntou se havia feito alguma cirurgia antes da cesárea, respondi que sim e fui explicar o procedimento, imediatamente foi solicitado para passar uma sonda nasogástrica, quando começou introduzir a sonda vomitei na hora um líquido escurecido como borra de café com odor horrível que eles não sabiam de onde vinha. Fui realizar uma tomografia e foi detectado um problema no intestino e teria que realizar uma cirurgia de urgência, na hora que o cirurgião me abriu pra iniciar a cirurgia queria fechar na mesma hora, pois estava tudo necrosado e não teria mais jeito, era questão de horas para morrer.

Mas Deus mostrou que quando o homem diz não ter mais jeito Ele age pra confundir a medicina e, foi isso que aconteceu. Durante a cirurgia tive 02 paradas cardíacas, meus rins e fígado paralisaram e meu quadro só piorava. Estava em coma, os médicos me deram 72hrs de vida e fui direto pra UTI. Para a medicina a morte era a certeza. Minha mãe postou na internet minha situação, não só a minha cidade mais parte do mundo começou a pedir a Deus por mim, o desejo do coração de muitos era me vê curada, fora da UTI e de volta a vida com a oportunidade de criar minha filha. No dia 07/09/12 sai do coma, arranquei os tubos, chamei a enfermeira falei que estava bem e gostaria de vê minha mãe. Não lembro nada durante esses dias que dormia a única lembrança é de um jardim cheio de flores. Passei a receber visitas da minha mãe, familiares, amigos que se impressionavam ao me vê daquela forma e muitos não continham as lágrimas; não sabia de nada do que tinha acontecido e nem me passava na cabeça perguntar. Logo depois a médica foi me contar todo procedimento e falar que devia realizar um transplante pois tinha perdido todo intestino delgado e maior parte do grosso, fiquei ali imaginando como seria minha vida e se um dia voltaria ao normal.

Como não sabiam se sairia daquela situação, levaram a minha pequena pra conhecê-la melhor ali mesmo na UTI, segura-la no colo pela 1ª vez, sentir seu cheiro e só saber que ela estava bem foi gratificante, pois, ela também era uma guerreira e Deus tinha feito seu 1º milagre, por que diante de tantas coisas MARIA SOPHIA nasceu perfeita e sem sequelas. Momento inexplicável. Deus continuou agindo, mostrando que havia feito pouco, pois só o fato de permanecer viva já um grande milagre. Meu quadro foi melhorando e recebi alta para ficar na enfermaria, ali me sentir gente novamente UTI é algo traumatizante.

Nesse sofrimento foram 49 dias internada no HC – PE, sem colocar nem m gole de água na boca, era só nutrição parenteral, soros, antibióticos, furadas todos os dias para realizar exames, sem contar com uma luta diária de para combater uma infeção que parecia não ter fim.
Fui transferida para o HC – SP com muito medo de passar por uma cirurgia de grande porte, mais graças a Deus tudo começou mudar. Comecei a receber dieta por boca (restrita), ingerir líquidos, me sentia mais feliz, pois a esperança de viver estava voltando. Ao realizar exames que a principio descartou a possibilidade do transplante fiquei internada por mais 34 dias para melhor adaptação do organismo. Para honra e gloria do Senhor recebi alta para retornar a PE e ficar fazendo a parenteral durante a semana em Recife. A felicidade foi imensa, estava voltando pra minha casa, minha cidade e para minha filha. Foram 03 meses corridos, com perda de peso muito rápido, cabelos caindo devido à desnutrição e, tive que voltar a São Paulo para realizar uma possível cirurgia para melhorar o funcionamento do intestino, mais ao realizar uma enteroscopia duplo balão, a equipe médica chegou a conclusão que essa não teria sucesso no meu caso. Com o intestino ultracurto a solução seria transplante ao qual ainda não se realiza no Brasil, o HC – SP está em reforma para começar realizar esse procedimento ainda sem previsão para início.
Ainda na luta, 07 meses longe de casa, com uma vida completamente mudada, realizo a nutrição parenteral em domicilio por 16hrs todos os dias por que não posso viver sem essa nutrição até meu organismo se adaptar com o que restou é o que espero em Deus ou no futuro fazer o transplante. Estou tentando conseguir esses medicamentos pelo estado de PE, ao qual negou o pedido e agora dependo da justiça pra conseguir ganhar essa causa e voltar pra casa.
Peço a Deus que fique comigo, me sustente em todos os momentos zelando cuidadosamente de mim. Posso dizer que haverá dias sem respostas, noites longas, mas Deus com sua misericórdia compõe tudo em silêncio. Devo muito as orações das igrejas católica e evangélicas, aos grupos de orações, a toda população Carnaibana… Enfim a união do povo do Deus. Sou a prova viva que aquilo que poderia ser o fim pode ser só o começo, pois ninguém imaginaria que sobreviveria e 365 dias depois estaria contando minha história. Aos poucos estou votando a minha vida normal, que realmente nunca mais será a mesma, existe um caminho imenso ainda pra percorrer, mais firme esperando minha vitória. E hoje preciso dizer ao mundo que Deus existe, surpreende a ciência e eu sou a prova viva do seu poder.

“AINDA QUE A TUA HISTÓRIA SEJA NEGATIVA, QUE A MEDICINA DIGA NÃO, AQUELE LÁ EM CIMA DIZ SIM E O AMÉM.” (Bianca Toledo)
Do S1 Notícias

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO GOVERNO DE IGUARACY