Pastor brasileiro pede que evangélicos abandonem tradição católica

Cristãos comemoram Páscoa na data errada, alerta estudioso
Ceia no filme A Paixão de Cristo
Esta semana, cristãos de todo o mundo celebram a Páscoa, que lembra a crucificação de Jesus na sexta e sua ressurreição no domingo. Isso é a pedra angular da fé cristã e deveria ser considerada a festa cristã mais importante.
Contudo, um pastor especializado no ensino sobre as raízes judaicas da fé cristã tem uma bomba para os crentes: eles estão comemorando no dia errado.
Mark Biltz, do El Shaddai Ministries, ficou famoso pela polêmica “descoberta” das luas de sangue sobre Israel e seu significado profético. Agora, ele está pedindo que os cristãos atentam para o fato de que a Bíblia possui um calendário distinto, com informações que não podem ser ignoradas. Caso contrário, estaremos celebrando a ressurreição de Jesus quase um mês antes da verdadeira data de sua crucificação.
“Esse é o problema quando seguimos as tradições dos homens, em vez da Bíblia”, alerta Biltz, em um artigo para o site WND. Ele aproveita a ocasião para defender que os cristãos voltem para a tradição bíblica e interpretem corretamente as Escrituras.
“A principal razão para os cristãos voltarem-se para o calendário bíblico é entendermos os eventos proféticos”, explicou. “As profecias bíblicas seguem o calendário judaico. Se queremos entender o que está para acontecer, precisamos saber disso. Como podemos fazer a conexão com o que o Senhor fez no passado e compreender o que Deus fará no futuro, se não estamos fazendo essa conexão corretamente?”, escreveu ele.
Biltz lembra ainda que o calendário romano foi estabelecido na época da criação de Roma, em 753 a.C. Ele era um ano solar e não lunar, como o que os judeus usavam. Mais tarde, o Império Romano fez alterações e criou o calendário Juliano em 46 a.C.
Ou seja, já existia na época de Jesus, mas não era seguido pelos judeus. O calendário que seguimos hoje é o Gregoriano, promulgado pelo Papa Gregório XIII em 1582. Ele precisa ser “corrigido” de 4 em 4 anos, com os chamados anos bissextos.
O pastor Biltz pede que os cristãos não esqueçam que a Páscoa é uma festa judaica, que seguia o calendário lunar, dado por Deus. Em Levítico 23:5 fica estabelecido a Páscoa é no dia 14 do primeiro mês do ano judaico, Nisan. Este ano, a Páscoa, ou Nisan 14, ocorre no pôr do sol do dia 22 de abril! Essa data pode ser comprovada por qualquer sinagoga ou federação israelita do mundo.
A importância de celebrarmos no dia correto, insiste Biltz é o fato de a Páscoa não ser uma data qualquer. De acordo com Mateus 26:17-19, a Última Ceia foi uma refeição pascal, ou, seja, o cumprimento do plano de Deus para restabelecer o Pessach como uma celebração não só dos judeus, mas de todos os que creem em Jesus.
“A maioria dos cristãos admite que Jesus precisava seguir a Torá para cumprir a profecia”, assevera Biltz. “Fica claro nos Evangelhos que Jesus morreu na Páscoa. Quando você liga isso com Levítico, entenderá exatamente o que estava acontecendo. ”
Para o estudioso, Cristo instruiu seus seguidores a continuarem celebrando a Páscoa.
“O Senhor disse durante a Última Ceia: ‘Fazei isto em memória de mim’. Bem, isso está intrinsicamente relacionado com a Páscoa que é a crucificação. Devemos seguir o mandamento bíblico. Contudo, a maioria dos cristãos não lembram, simplesmente celebram a Ressurreição. Muitas vezes fazem isso no calendário errado!”.
Seguindo a lógica de Biltz, a lembrança da ressurreição de Cristo deve ser em 24 de abril. “Se Jesus cumpriu tudo, ele morreu na Páscoa… que deve ser celebrada no dia 14 do primeiro mês bíblico. Somente então devemos celebrá-la”.
Embora em alguns anos realmente a Páscoa judaica e a cristão coincidam, o pastor diz que está na hora de os crentes começarem a honrar o calendário de Deus.
“A vinda do Messias cumpriu o calendário bíblico. Ele morreu na Páscoa. Foi enterrado na festa dos pães ázimos. Ressuscitou na Festa das Primícias. Tudo isso fazia parte do plano de Deus, estabelecido desde a fundação do mundo, porque Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre”, finaliza.
Existem várias igrejas que tem por hábito seguir o calendário bíblico e não o católico para celebrar datas especiais, inclusive no Brasil.
O pastor Paulo De Tarso Fernandes, da Igreja Apostólica Betlehem, disse ao Gospel Prime: “Eu não concordo em estarmos celebrando a Páscoa fora de época, pois não estamos seguindo a Bíblia, mas, a tradição católica, muito distante das Escrituras e está na hora de voltarmos… Este ano, justamente neste período da páscoa Católica está se celebrando a Festa Bíblica do Purim. Isso é o que todo cristão deveria estar fazendo, resgatando não uma tradição judaica, mas a verdade e a revelação da Palavra de Deus”.

Share/Bookmark

0 comentários: