POLICIAIS SERÃO REMANEJADOS PARA ENFRENTAR ASSALTOS A BANCOS

Remanejamento. Sem recursos e sem efetivo suficiente, essa é a palavra de ordem do Estado para enfrentar a guerra diária em que se transformaram as investidas contra instituições financeiras em Pernambuco. Uma mudança que ainda não chegou aos destacamentos do interior, cuja média é de apenas dois policiais militares atuando por dia, conforme admitiu o coronel Vanildo Maranhão, diretor integrado especializado da Polícia Militar, que participou de debate na Rádio Jornal, na tarde desta sexta, juntamente com o delegado Salustiano Albuquerque, diretor das especializadas da Polícia Civil.
“Infelizmente, o crime evolui e a gente não tem como dar uma resposta imediata, mas estamos nos organizando e a curto e médio prazo teremos resultados”, afirmou. “Vamos remanejar pessoal para o Batalhão Especializado do Interior (Bepi), para reforçar os destacamentos da Zona da Mata até o Sertão, e estamos recebendo de volta 222 policiais que foram emprestados à Força Nacional para as Olimpíadas. Estes vão reforçar o Batalhão de Rádio Patrulha que atuará em ocorrências no Grande Recife”.
Enquanto o remanejamento não acontece, o coronel reconhece que a orientação aos PMs dos destacamentos é não reagir aos assaltos a bancos. “Fica difícil para um destacamento com dois policiais usando pistolas que alcançam 30 metros reagir contra quadrilhas especializadas que utilizam fuzis com alcance de dois quilômetros. Então orientamos para que peçam reforço e fiquem à distância. Mas normalmente não conseguem chegar perto devido aos grampos nas estradas”.
Segundo o coronel, a instituição recebeu veículos, fuzis e coletes balísticos, por meio de um convênio com o Banco Central, e vai usar nessa operação. “A atuação dos bandidos se dá na fragilidade do policiamento ostensivo e, sobretudo durante a madrugada”, admitiu.
Um projeto para criação do 1º Batalhão Integrado Especializado Policial Militar, em Caruaru, no Agreste, foi encaminhado à Assembleia Legislativa. “Temos 12 unidades especializadas e a ideia é condensar todas em um batalhão, com os 1,5 mil novos PMs que vão se formar em junho de 2017, devidamente capacitados por especialistas”, informou.
O delegado Salustiano Albuquerque salientou que as quadrilhas são formadas por criminosos de vários Estados, daí a importância do trabalho do serviço de inteligência e do reforço das equipes de investigação, que passaram de três para sete delegados.
Ontem de madrugada, cerca de 15 homens invadiram a agência do Banco de Brasil de Panelas, no Agreste, usando uma serra elétrica para cortar as grades. Depois explodiram o cofre. Eles deram vários tiros para o alto e espalharam grampos pela estrada, tendo furado os pneus da viatura que seguia para o local. Outro grupo tentou arrombar um caixa eletrônico de um supermercado, no Cabo de Santo Agostinho, mas não conseguiu. As duas quadrilhas fugiram.

Share/Bookmark

0 comentários: