Mostrando postagens de Fevereiro 27, 2016Mostrar tudo

Canhão do Exército é localizado dentro de caminhão com placa de Iguaracy

Uma apreensão nesta sexta-feira (26) gerou curiosidade em Jundiaí (SP). Um canhão do Exército foi apreendido dentro de um caminhão no bairro Vila Arens.
De acordo com a Guarda Municipal, moradores viram o veículo recebendo a arma e acionaram a equipe. Em seguida, a ocorrência foi apresentada na Delegacia de Investigações Gerais (DIG).
Segundo a polícia, o canhão está com a documentação em ordem, não tinha munição e foi vendido de um colecionador de Jundiaí para outro do Estado de Pernambuco.
Ainda de acordo com informações da polícia, o motorista explicou que foi contratado para transportar o objeto até Petrolina (PE). Após o depoimento, ele foi liberado.
A polícia ainda aguarda a guia de transporte que deve ser apresentada pelo colecionador de Pernambuco. Enquanto a documentação não chega, o canhão permanece na DIG. (Mais Pajeú)

Compesa foca ações para abastecer Itapetim, Brejinho, Riacho do Meio e Santa Terezinha, diz Tavares

O Presidente da Compesa, Roberto Tavares, falou ao blog esta tarde em Ingazeira sobre as ações da companhia no Pajeú, a partir da assinatura da ordem de serviço para aprimoramento da distribuição em Iguaracy e Ingazeira, com água da Adutora do Pajeú, assinada esta tarde pelo governador Paulo Câmara.

Importância da ação anunciada para Iguaraci e Ingazeira

Quem conhece um pouco da história do abastecimento na região sabe que alguns anos atrás a Compesa montou uma estratégia para socorrer São José do Egito a partir da Barragem do Rosário. Foi feita uma adutora em caráter emergencial de 54 quilômetros para salvar São José. Agora a Barragem do Rosário não teve chuvas e recuperação. A partir de São José do Egito a gente volta com água da Adutora socorrendo Tuparetama e trazendo de volta para Ingazeira e Iguaracy. As cidades estão atuando com adutoras invertidas. Com essa assinatura de mais R$ 400 mil a gente vai ter uma estrutura definitiva, com motobombas novos kits, porque fizemos algo provisório.

Ações para cidades em colapso no Alto Pajeú
A gente tá multiplicado os efeitos da Adutora do Pajeú par atender a mais cidades. Nossa equipe esta autorizada a estudar alternativas para levar água para Itapetim, Brejinho e outra alternativa para abastecer Santa Terezinha. Além disso, tem o Distrito do Riacho do Meio. A gente apresentou esta semana no Ministério da Integração uma proposta de obra com aporte nosso de R$ 1,2 mi para abastecer o Distrito.

Acompanhamento com Integração Nacional de nova etapa da Adutora do Pajeú

Temos uma pauta permanente com a Integração Nacional. A cada quinze dias estamos nos reunindo com eles porque temos investimentos importantes como as Adutoras do Agreste, Oeste e a Adutora do Pajeú, que embora tocada pelo Dnocs, é uma obra que a Compesa acompanha de perto, faz o comissionamento para receber e operar. Temos interesse de que esses investimentos se consolidem.

Situação da obra de saneamento global em Afogados da Ingazeira

Nos estamos encerrando uma etapa da obra, em negociação com a construtora que ainda tem alguns problemas. Não vai dar pra fazer tudo que a gente queria com este projeto. Fizemos atualização do projeto, queremos inaugurar uma etapa e a segunda etapa a gente fazer uma nova licitação para ter o saneamento em toda Afogados. (Por Nill Júnior)

Homicídios no Alto Pajeú ligaram sinal de alerta, diz Comandante da PM

Em entrevista ao programa Manhã Total na Gazeta, a Comandante da 3ª Companhia de Polícia de São José do Egito, Capitã Mirelle Oliveira, falou sobre os índices de criminalidade no Alto Pajeú, a partir dos crimes registrados entre janeiro e fevereiro. Para se ter uma ideia, dos nove homicídios registrados na área do 23º BPM, com 11 cidades, cinco aconteceram em São José do Egito e dois em Itapetim, mais de 70% do total. Os outros dois aconteceram em Quixaba e Tabira.
Segundo a Comandante, a PM manteve a vigilância na área e tem combatido tráfico de drogas e outros crimes que podem desencadear homicídios, mas era impossível evitar a maioria dos homicídios ocorridos. Ela lembrou que parte importante destas mortes foram causadas por conta do envolvimento das vítimas com a criminalidade. Exemplo disso foram o duplo homicídio em São José do Egito e a morte de um menor de 17 anos com vasta ficha, em Itapetim. “É o aspeto da imprevisibilidade do crime”, disse.
A Comandante destacou que a Operação Mercúrio, coordenada pelo Delegado Ubiratan Rocha, com participação de vários policiais militares pode por tabela reduzir outros índices de criminalidade. “Tenho certeza de que haverá uma redução nos crimes que eram puxados por criminosos. A criminalidade é como uma cobra de sete cabeças. A gente elimina uma, tem outras, mas estamos vigilantes, disse.
O quadro fez a polícia intensificar operações na área e reforçar cuidado com a área de fronteira, maior dificultador identificado no combate a criminalidade no município. “Essa situação mexe com todos nós. Não lutamos contra a comunidade apenas para da resposta às autoridades, mas principalmente à sociedade. Quando um crime ocorre, nós também senimos relatou.

Tadeu Alencar:
o programa também contou com a participação do Deputado Federal Tadeu Alencar. Ele participa hoje da agenda do Governador Paulo Câmara no Pajeú.
Em Santa Rosa, município da Ingazeira, uma comitiva de São José do Egito capitaneada pelo pré-candidato Evandro Valadares levará ao governador Paulo Câmara e ao Presidente da Compesa, Roberto Tavares, um reforço das demandas apresentadas recentemente em Recife, como as obras para distribuição de água em Riacho do Meio, São José do Egito. (Nill Júnior)

Como a ausência de políticas públicas trouxe de volta ao País a doença infecciosa que tem consequências devastadoras, mas que pode ser facilmente evitada

Como se não bastassem a zika, a dengue e o chikungunya, os brasileiros estão sob ameaça de outra doença de consequências igualmente assustadoras. A ineficácia das políticas públicas fez explodir os casos de sífilis no País. Nunca foi tão alto o número de gestantes e bebês acometidos pela terrível enfermidade infecciosa transmitida pela bactéria Treponema pallidume que, se ocorrida ao longo da gestação, pode provocar nos fetos malformações como a microcefalia, ou, após o nascimento, surdez, cegueira e até morte. Em 2007, o total de crianças de até um ano de idade nascidas com a doença (forma congênita) foi de 5.535. A projeção para este ano é a do nascimento de mais de 22,5 mil bebês nesta condição. Onze anos atrás, o País registrou cerca de 1,8 mil casos de gestantes infectadas. Neste ano o total ultrapassará 40 mil. E por que o Brasil coleciona mais essa mazela? Atribui-se ao aumento de notificações – o problema já existiria, mas só agora sua real dimensão foi conhecida –, à falta de uma campanha de prevenção e, o mais grave, à falha na distribuição de medicamentos.
É mais uma das vergonhas nacionais. Países como Canadá, Estados Unidos, Nicarágua e Barbados atingiram há três anos a meta estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de controle da doença (0,5 casos a cada mil nascidos vivos). No Canadá, por exemplo, em 2013 foram notificados os nascimentos de três bebês com sífilis. Nos EUA, no mesmo ano, foram 429. Enquanto isso, naquele período, o Brasil ultrapassou a marca de 13 mil crianças infectadas.

Governador assina ordem de serviço e Água do São Francisco chegará a mais duas cidades do Sertão do Pajeú: Ingazeira e Iguaracy, além do distrito de Jabitacá

O governador Paulo Câmara e o presidente da Compesa, Roberto Tavares, assinam neste sábado (27) a ordem de serviço para execução da obra que levará água do rio São Francisco, através da Adutora do Pajeú, para mais duas cidades da região: Ingazeira e Iguaracy, além do distrito de Jabitacá.
Segundo a Compesa, serão investidos R$ 418 mil na obra que irá transportar a água para uma adutora já existente até a barragem do Rosário, que entrou em colapso em novembro de 2015.
O projeto visa à interligação da Adutora do Pajeú, partindo de Tuparetama, até o sistema adutor da barragem do Rosário.
Com capacidade para armazenar 34 milhões de metros cúbicos d’água, a Barragem do Rosário secou completamente em decorrência da seca que castiga a Pernambuco.
Como a Adutora do Pajeú começou a atender Tuparetama desde dezembro

Governador assina ordem de serviço e Água do São Francisco chegará a mais duas cidades do Sertão do Pajeú: Ingazeira e Iguaracy, além do distrito de Jabitacá
de 2015, a Compesa vislumbrou a possibilidade de estender a cobertura a essas duas cidades, aproveitando o sistema já existente. (Via: Inaldo Sampaio)

NINGUEM É DONO DO MUNDO

O cantor Roberto Carlos, após perder ação judicial no final do ano 2015 contra paraibano homônimo e proprietário da Imobiliária e Construtora Roberto Carlos, localizada na cidade de Conde, Litoral Sul da Paraíba, não aceitou a decisão da Justiça, recorreu da decisão e perdeu outra vez.
O artista tentou, pela segunda vez, conseguir autorização judicial para obrigar a mudança do nome da empresa do paraibano a quem acusava de tentar provocar confusão junto aos consumidores por usar o pré-nome composto “Roberto Carlos” na fachada do prédio. O cantor ainda pedia a imposição de uma multa diária de R$ 500 (quinhentos reais) caso o empresário insistisse na manutenção do nome na empresa.
A decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) pela improcedência da ação cominatória e indenizatória se deu nesta quarta-feira (24) ao mesmo tempo em que foi mantida a condenação da Editora Musical que deverá pagar as custas processuais e honorários advocatícios, com o seguinte entendimento:
“Não há omissão, contradição ou obscuridade a ser sanada, só servindo os presentes embargos para veicular o inconformismo da embargante, não sendo possível alterar o comando já pronunciado. A improcedência da ação foi decretada, em suma, os nomes da sociedade apelante e a marca registrada pela apelada são semelhantes, mas não são idênticos, utilizando-se a apelante, em sua razão social, do nome de seu representante legal (Roberto Carlos) associado ao seu ramo de atividade (Imobiliária). É incontroverso manterem as partes atividades ligadas a uma mesma atividade (ramo imobiliário), mas não restou comprovada a alegada confusão perante clientes e fornecedores”.
Conhecido por suas “muitas” manias, o cantor Roberto Carlos parece não se cansar dos tribunais. Depois de tentar evitar que o estilista italiano Roberto Cavalli registrasse a sigla RCC no Brasil, o cantor titular das iniciais RC mirou na imobiliária da cidade de Conde e quer porque quer que o nome seja mudado.
Na ação que ele perdeu no ano passado e recorreu, a empresa do artista alegou que a Imobiliária e Construtora Roberto Carlos utilizava indevidamente o nome do músico, que ingressou nesse mesmo segmento de mercado, em 2011, com a incorporadora Emoções. Porém, a 1ª Câmara Reservada de Direito Empresarial do Tribunal de Justiça de São Paulo, permitiu que a empresa paraibana, cujo dono é um homônimo, mantenha o nome da firma — e sem pagar indenização à celebridade.
De acordo com o advogado do Roberto Carlos paraibano, em relação ao processo, este já chegou numa fase na qual não se discute mais o mérito. Porém, a defesa de Roberto Carlos (o rei) pode protocolar recursos para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF).
“Recebemos a decisão a respeito dos embargos declaratórios opostos pela parte adversa com serenidade e, em que pese os nobres causídicos que subscreveram o mencionado recurso, a decisão emanada da 2ª instância do Tribunal de Justiça de São Paulo não merecia alteração, posto que não houve omissão, contradição ou obscuridade, o que foi confirmado através do acórdão supracitado”, disse o advogado Alexandre Augusto de Lima Santos (AS Advogados), responsável pela defesa da Imobiliária e Construtora Roberto Carlos.
Clica abaixo e veja a nova decisão da Justiça de São Paulo
Acórdão

Filho de "Chaves" quer fazer nova série com os atores ainda vivos

Roberto Gómez Fernández, filho de Roberto Gómez Bolaños, o famoso criador e intérprete de “Chaves”, disse em entrevista ao site mexicano Labotana que tem planos de tentar reunir o elenco do seriado mexicano em um reencontro.O produtor reforça, porém, que isso não seria em curto prazo, pois ainda tem que conversar com todos os atores que estão vivos para saber de suas condições físicas, mentais e também se estariam dispostos a fazer uma série comemorativa.
“Me interessa fazer um reencontro com os atores que ainda estão vivos, mas isso é em longo prazo. Alguns deles estão ocupados em outros projetos”, disse Roberto Fernández.
A ideia surgiu depois do emocionado reencontro entre os atores Florinda Meza, sua madrasta, e Rubén Aguirré, o Professor Girafales, que aconteceu na semana passada depois de muitos anos que eles não se viam.
Do elenco principal de "Chaves", já estão falecidos o seu criador, Roberto Gómez Bolaños; Ramon Valdés, o Seu Madruga; e Angelines Fernandéz, a Dona Clotilde.
Em tempo
Nos dias 14 e 15 de maio, a atriz Ana Lilian de la Macorra, a Paty de “Chaves”, estará no Brasil para encontrar os seus fãs em São Paulo e Curitiba, respectivamente.
Esta será a primeira vez que a atriz mexicana vem ao país.
Os ingressos estão à venda no site http: //www.clubedoingresso.com/4funfest

Supervulcões podem explodir sem aviso a qualquer momento.

Supervulcões como o Yellowstone, nos Estados Unidos, podem entrar em erupção sem terremotos ou outros fatores externos, sugere um estudo realizado por especialistas suíços, publicado na revista Nature Geoscience. O imenso volume de magma seria suficiente para causar uma supererupção catastrófica, de acordo com um experimento realizado no Laboratório Europeu de Radioatividade de Sincrotron (ESRF, na sigla em inglês), com sede em Grenoble, na França. Poder simular o calor e pressão intensos desses “gigantes adormecidos” poderia ajudar a prever um desastre futuro, segundo os cientistas. “Nós sabíamos que a hora estava passando, mas não sabíamos o quão rápido: o que seria preciso para desencadear uma erupção?”, indaga Wim Malfait, pesquisador-chefe da ETH, uma universidade de tecnologia e ciências naturais, em Zurique. “Agora sabemos que não precisamos de nenhum fator extra. Um supervulcão pode entrar em erupção simplesmente por causa de seu enorme tamanho”, acrescentou. “Uma vez que a lava está derretida o suficiente, a erupção pode começar num estalar de dedos.”

Efeitos devastadores
Há cerca de 20 supervulcões na Terra, entre os quais o Lake Toba, na Indonésia e Lake Taupo, na Nova Zelândia. Supererupções ocorrem raramente, geralmente uma vez a cada cem mil anos. Mas quando ocorrem, o efeito é devastador para o clima e ecologia do planeta. Quando um supervulcão entrou em erupção há 600 mil anos no Estado de Wyoming, onde fica hoje o Parque Nacional de Yellowstone, expeliu mais de mil quilômetros cúbicos de cinzas e lava na atsmofera – o suficiente para enterrar uma cidade grande a alguns quilômetros de profundidade. “É possível comparar a erupção ao impacto de um asteróide. O risco de que possa acontecer a qualquer momento é pequeno, mas quando acontece as consequências são catastróficas”, afirma Malfait. Entender o que desencadeia uma megaerupção continua sendo uma questão difícil de responder.
Um mecanismo possível pode ser o aumento da pressão sobre a câmara magmática gerada pelas diferenças entre a densidade do magma e das rochas que a rodeiam. “O efeito é similar ao segurar uma bola de futebol embaixo d’água. Quando você solta, a bola sobe, impulsionada pela densidade da água”, explica o cientista. Mas ainda não se sabe se só este efeito é suficiente. É possível que um gatilho adicional, como uma injeção repentina de magma, uma infusão de vapor de água ou um terremoto também seja necessário.
A boa notícia é que se um vulcão como o Yellowstone estiver à beira da erupção, emitirá um alerta, tranquilizou Malfait. “O solo provavelmente seria elevado em centenas de metros”, afirmou, acrescentando que os cientistas acreditam que o vulcão atualmente tem entre 10 e 30% de magma parcialmente derretido. “Para que a pressão seja suficiente para causar uma erupção, seria necessário que esse índice seja de 50%.”
Fonte Completa: BBC

Conheça o “ladrão-de cocos”, o maior artrópode terrestre

Esse animal mede até 1 metro de comprimento, e é conhecido como o caranguejo-dos-coqueiros (Birgus latro), aliás o mesmo recebe o nome de ladrão-de-coco. Ele também é o maior animal terrestre do filo dos artrópodes, que inclui insetos, aranhas e crustáceos. Na realidade, dentre todos os artrópodes do planeta, o ladrão-de-coco só é menor que o caranguejo-aranha-gigante (Macrocheira kaempferi), que vive no meio aquático marinho, onde pode suportar melhor seu peso médio de quase 20 kg.
Pouco se sabe sobre essa espécie. Estes animais são classificados como deficientes de dados (DD), ou seja os especialistas não sabem ao certo se eles estão ameaçados de extinção. Esses caranguejos vivem em pequenas ilhas da região tropical dos oceanos Índico e Pacífico. E, apesar do nome, têm uma alimentação variada que inclui frutas suculentas e até caranguejos menores.
Eles utilizam as fibras da casca do coco, para forrar suas tocas e, diferentemente dos outros caranguejos, eles só vão ao mar para depositar seus ovos, ou seja eles são seres totalmente terrestres.
Fonte: BBC

Laudo aponta que homem linchado após suspeita de pedofilia era inocente

Um homem, de 58 anos, suspeito de abusar sexualmente de duas crianças, uma de três e outra de seis anos, que foi linchado por populares em Paraíso do Norte, no noroeste do Paraná, na terça-feira (23), era inocente de acordo com o laudo emitido pelo Instituto Médico Legal (IML). O suspeito morreu na tarde de quarta-feira (25) na Santa Casa de Paranavaí devido a gravidade dos ferimentos.
Suspeito de pedofilia é espancado por populares no Paraná
Segundo o delegado Clóvis Papa, responsável pela investigação sobre o suposto estupro, uma investigação paralela vai apurar o linchamento.
De acordo com Papa, os vídeos e fotos que circulam na internet e que mostram pessoas abordando Juvenal vão ser usados para reconhecimento e indiciamento dos agressores e eles devem ser intimados para prestar esclarecimentos à Polícia. Se incriminados, os acusados vão responder homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Advogado de MG salva casamento com bilhete e vira sensação na web

O advogado Rafael Gonçalves perdeu uma cliente, mas ganhou a felicidade de unir um casal em crise. Desde ontem (24), o jurista de São Sebastião do Paraíso (MG) virou uma espécie de 'conselheiro amoroso' após contar a história em seu perfil no Facebook.
Em entrevista ao portal da RedeTV!, o advogado, que exerce a profissão há dois anos, explicou que foi procurado por uma mulher que queria dar entrada no divórcio. Ele afirma ter estranhado o fato de ter sido procurado por ela, pois é comum que mulheres recorram a advogadas nesse tipo de situação.
Enquanto conversavam, ele notou que o divórcio talvez não fosse a melhor solução para aquele casamento. "Vi que ainda havia um carinho", explica. "Ela contou que ele tinha deixado de ser a pessoa que era antes do casamento, que não a surpreendia mais e que havia mudado, mas que ainda gostava dele".
Diante disso, ele fez uma proposta. No papel em que anotou os documentos necessários para o processo legal de separação, Rafael escreveu também quatro perguntas que a mulher deveria se fazer antes de prosseguir. "Expliquei as perguntas, e disse para ela pedir para o marido responder também", relembra ele.
Com perguntas como "eu fiz tudo para salvar o meu relacionamento", ele queria propor uma reflexão ao casal e evitar que tomassem uma decisão precipitada em tempos de crise conjugal. Caso ela respondesse ao questionário e ainda considerasse que o divórcio era, sim, a solução, ela deveria voltar ao escritório para iniciar o processo.
Dias depois, o advogado ficou surpreso ao receber uma visita no escritório. "Ela voltou para agradecer com o marido e devolver o papel", diz ele. O casal havia percebido que enfrentavam uma crise momentânea, que poderia ser resolvida pelos dois.
Diante da repercussão da história, que teve mais de 12 mil compartilhamentos na rede social, Rafael garante que somente fez o que aprendeu na faculdade: intermediar um conflito e ajudar a resolvê-lo antes de seguir para o campo jurídico - e sem cobrar um centavo por isso. "Perdi um cliente, mas ganhei um casal de amigos", diz ele. "Ficou assustado de ver as pessoas se impressionaram tanto, porque as pessoas deveriam ser boas o tempo todo".

Decifradas misteriosas inscrições em aramaico encontradas em Israel

Uma equipe de arqueólogos israelenses encontrou uma série de inscrições em grego e aramaico durante escavações realizadas no norte de Israel.
São três epitáfios de 1.700 anos de idade, descobertos em um cemitério da antiga cidade da Galileia, nos tempos de Séforis, segundo informou a Autoridade de Antiguidades de Israel, responsável pelos trabalhos arqueológicos.
Séforis foi a primeira capital da Galileia, da época da dinastia dos Asmoneus, até o estabelecimento de Tiberíades, no século I. A cidade continuou sendo central e importante no futuro.
Até o momento, os especialistas conseguiram decifrar uma palavra grega, que significa “José”, um nome judaico muito comum para a época, e três palavras em aramaico, o idioma supostamente falado por Jesus, que significam “rabino”, “o Tiberiano” e “sempre”.
Moti Aviam, pesquisador do Instituto de Arqueologia Kineret da Galileia, afirmou que a descoberta é surpreendente: “uma das surpresas nas inscrições encontradas recentemente é que um dos falecidos se chamava ‘o Tiberiano’ (...) essa já é a segunda prova de que alguém de Tiberíades foi enterrado no cemitério de Séforis”.
Outra grande descoberta foi a palavra “le-olam”, que significa “para sempre”, um termo nunca antes encontrado na região de Séforis. “o termo ‘le-olam’ é conhecido de inscrições funerárias em Beit She’arim (Galileia) e em outros lugares, e significa que o local de sepultamento do falecido continuará sendo seu para sempre e que ninguém tirará isso dele. Ambas as inscrições terminam com a bendição em hebreu ‘Shalom’ (paz)”, afirmou Aviam.