PREFEITURA

xxxxxxxxxxxx

Eleições 2016: saiba o que se torna proibido na propaganda eleitoral nesta reta final

Diana Câmara
Após 45 dias de campanha de rua, as eleições 2016 já estão na reta final. A partir desta quinta-feira, tem início os últimos preparativos para o dia 02 de outubro. Vale lembrar que nestes últimos dias a Justiça Eleitoral não permite mais o mesmo tipo de propaganda que foi permitido durante um mês e meio. Hoje terminam diversas atividades importantes da campanha eleitoral. É o último dia para a exibição da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão, comícios, reuniões públicas e realização de debates, estando previsto para hoje diversos debates como em Recife e Caruaru.
A legislação eleitoral prevê ainda que hoje é o ultimo dia para os partidos políticos e as coligações indicarem aos Juízos Eleitorais o nome das pessoas autorizadas a expedir as credenciais dos fiscais e dos delegados habilitados a fiscalizar os trabalhos de votação durante o primeiro turno das eleições. Lembrando que não é necessário submeter à Justiça Eleitoral os nomes dos fiscais e locais onde irão atuar.
Nesta sexta-feira, ainda são permitidas as propagandas em carro de som, a realização de caminhadas, panfletagem e carreatas – todas até as 22h. Também é possível realizar a colocação de adesivos em automóveis, propagandas em jornais e fazer a campanha na internet.
No sábado, a publicidade paga em jornais não é mais permitida, mas a propaganda eleitoral mediante alto-falantes ou amplificadores de som, entre as 8h e às 22 horas, estão liberadas. Já no dia da eleição, os únicos tipos de propagandas permitidas são os adesivos em automóveis e a publicação na Internet – sites, Facebook e aplicativos em mensagens instantâneas, como o Whataspp.
A advogada eleitoral Diana Câmara destaca que essa reta final de campanha demanda ainda mais atenção para as regras eleitorais, em especial para o dia da eleição. “Não houve mudanças na legislação acerca dos prazos finais de campanha e nem para o dia da eleição. Contudo, deve o candidato atentar para o que prevê a lei a fim de não cometer irregularidades e sofrer sanções. No dia da eleição não é permitido fazer boca de urna, nem aglomeração de pessoas ou distribuição de material, como o santinho do candidato. Já na internet a propaganda continua, sendo um bom canal para mostrar o dia do candidato, demonstrações de apoio, inclusive com pedido expresso de voto. Assim, vale a pena investir nas redes sociais, mas sem o uso de link patrocinado”.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Novo vírus pode controlar sua conta de Facebook; saiba como se proteger

Com (quase) todo mundo no Facebook --a própria rede social afirma que oito em cada dez brasileiros têm um perfil--, a plataforma atrai a atenção de hackers para espalhar vírus pela internet. E uma nova ameaça pode infectar seu computador e celular.
Em um link que aparece como notificação, o mais recente ataque solicita a instalação do plug-in malicioso chamado "The player".
O truque usado pelos hackers é o seguinte: o usuário recebe uma notificação, enviada por um amigo do Facebook, e assim que clica no link é redirecionado para uma página de download do "The player". Basta realizar o download para ficar infectado.
Assim todos os dados armazenados na rede social ficam vulneráveis e novas notificações com o link da contaminação são enviadas para os contatos do usuário.
No lugar do player prometido, o usuário acaba baixando e instalando um trojan (programa malicioso) como extensão no navegador Chrome. Ao acessar o Facebook utilizando o browser comprometido, o controle da conta é roubado e a propagação do vírus é iniciada.
Na versão mobile do vírus, o usuário é direcionado a páginas que solicitam a instalação de aplicativos fora da Google Play ou preenchimento de cadastros que futuramente geram prejuízo financeiro.
Se você quer ficar longe de problemas com vírus, especialistas da PSafe, empresa brasileira líder em segurança e performance mobile, fizeram uma lista de dicas:
Tenha sempre um antivírus instalado
O usuário deve sempre seguir as instruções básicas para proteção dos dados, mas o antivírus instalado no celular funcionará como uma barreira de segurança para garantir a privacidade dos seus arquivos.
Navegue com atenção
Às vezes, durante um dia corrido não prestamos atenção em algumas alterações nos sites. Por isso, é importante ficar atento a qualquer comportamento estranho. Desconfie de links recebidos por e-mails, Facebook Messenger, WhatsApp, SMS ou aqueles que pedem informações confidenciais ou até que se propagam entre grupos de amigos.
Além disso, fique alerta aos links que solicitam instalações de plug-ins, mesmo que seja um site que normalmente acessa.
Para evitar cair nesse golpe, suspeite também de downloads sugeridos para melhorar ferramentas que já funcionam bem, como o próprio Facebook ou YouTube. Evite baixar arquivos de fontes desconhecidas. Se você recebeu mensagens de um amigo infectado, evite a proliferação e informe sobre o vírus para que ele possa remover o problema.
Exclua o programa
No celular, o usuário deve desinstalar o aplicativo malicioso e instalar um antivírus. Caso você tenha se cadastrado em algum programa pago de SMS, entre em contato com a operadora para cancelar o falso serviço.
Já no computador, o processo é similar ao de remoção de uma extensão do navegador Chrome. Clique no botão de "menu", no canto superior direito, e depois em "configurações". Em seguida, clique no item "Extensões", no menu lateral, e identifique a extensão maliciosa. Clique na lixeira da extensão instalada e delete. (UOL)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

Pernambuco não vai proibir consumo e venda de bebida alcóolica nas eleições

Pela segunda vez nas eleições, Pernambuco não vai proibir a venda e o consumo de bebida alcoólica no dia da votação no pleito municipal, no próximo domingo (2). A decisão, anunciada hoje (29) em entrevista coletiva sobre o esquema de segurança planejado para as eleições, foi tomada para que as forças policiais sejam direcionadas a outros serviços.
“Muito efetivo era empenhado para coibir o consumo da bebida e prejudicava até o policiamento das eleições”, argumentou o secretário de Defesa Social de Pernambuco, Alessandro Carvalho. A decisão já foi tomada nas eleições de 2014 em Pernambuco. Segundo o Carvalho, a liberação foi acordada entre a Secretaria de Defesa Social, o Tribunal Regional Eleitoral e a Procuradoria Regional Eleitoral. “Isso não impede que um juiz eleitoral entenda que é necessário decretar a Lei Seca na cidade, e, se isso ocorrer, nós iremos cumprir a determinação.”
Este ano, o efetivo das polícias estaduais para as eleições é 11% menor que o empregado em 2014, ano do último pleito. De acordo com o secretário, a mudança na logística de distribuição das urnas foi o principal fator para a redução. Entre as atribuições da Polícia Militar (PM) está a segurança das urnas. Alessandro Carvalho explicou que antes os equipamentos era instalados nos locais de votação no dia anterior, o que demandava um grande efetivo.
“Por exemplo: você tem um centro regional com 200 urnas. Eu só preciso de dois policiais militares para tomar conta delas. Se essas urnas forem para 100 locais distintos de votação com uma antecedência que não é necessária, eu precisaria de 200 policiais militares para tomar conta disso. Então foi um ajuste feito em comum acordo com o Tribunal Regional Eleitoral para otimizar”, detalhou o secretário.
Agora, apenas os locais mais distantes recebem a urna um dia antes. A distribuição aos pontos mais próximos dos subcentros, onde os aparelhos são armazenados no interior do estado, será feita no domingo de votação. “Menos policiais empregados nas eleições são mais policiais nas ruas para tomar conta da segurança como um todo”, destacou Carvalho. Ao todo, existem 3.302 locais de votação no estado.
Também foi planejada uma distribuição de efetivo com base no histórico de ocorrências nos dois últimos pleitos, de 2014 e 2012. Municípios com menos risco de conflitos terão um menor efetivo empregado.
Ao todo, 12.111 policiais militares participam do esquema de segurança das eleições – segundo a Secretaria de Defesa Social, cerca de 80% da tropa. Parte do efetivo já começou a trabalhar hoje. Trezentos PMs viajaram para o sertão a fim de tomar conta das urnas que saíram da capital e estão guardadas nos subcentros no interior do estado. Amanhã (30) mais 700 militares seguem para o Agreste e Zona da Mata.
A Polícia Civil atuará com 945 profissionais, dos quais 171 são delegados, 136 escrivães e o restante é agente. Um total de 124 delegacias, sendo 102 no interior e 22 na região metropolitana do Recife, funcionarão em regime de plantão.
A Polícia Federal (PF) também vai atuar no pleito. A corporação é responsável por investigar todos os casos de crime eleitoral quando a Justiça Eleitoral determinar. “Estamos com várias equipes já fazendo levantamentos, sempre a pedido do juiz eleitoral e do Ministério Público Eleitoral, e agora, mais próximo da eleição, nós temos equipes que estão sendo deslocadas para pontos do interior que vão ficar à disposição da Justiça Eleitoral”, anunciou o superintendente da PF em Pernambuco, Marcello Diniz Cordeiro.
Este ano, não haverá emprego de tropas federais em municípios pernambucanos. “O presidente do tribunal recebeu alguns pedidos de tropas federais, mas juntamente com o coronel Gondim [assessor de segurança do TRE], foi analisado que no momento não seria necessário o envio de tropas federais, porque a Polícia Militar tem condições de dar garantias ao pleito, segundo nosso presidente”, explicou o assessor da presidência do TRE, Henrique Melo.

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...