PREFEITURA DE CARNAÍBA

Ex-goleiro Bruno consegue liminar do Supremo e deixa prisão

O ex-goleiro Bruno, condenado em primeira instância pela morte de Eliza Samúdio, saiu nesta sexta (24) da prisão, em Minas Gerais.
Ele foi beneficiado por uma liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal.
Na porta do presídio em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, a expectativa durou o dia inteiro. O oficial de justiça com o alvará de soltura só chegou às 18h20.
O goleiro estava preso desde 9 de julho de 2010, acusado de participação no desaparecimento e morte da ex-amante Eliza Samúdio.
Bruno conheceu Eliza quando era goleiro do Flamengo, em 2009. Eliza ficou grávida e dizia que o filho era do jogador. Ela cobrava pensão e exigia que Bruno reconhecesse o menino.
A polícia disse que isso motivou o crime. E que Bruno e os amigos planejaram a morte de Eliza Samúdio.
Segundo as investigações, em 2010, um amigo e um primo de Bruno levaram Eliza e o filho para o sítio do jogador na região metropolitana de Belo Horizonte, onde ela teria sido mantida refém por cinco dias. Os investigadores disseram que Eliza foi morta por Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. O corpo dela nunca foi encontrado.
Bruno foi condenado a 22 anos e três meses por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver de Eliza Samúdio. E ainda por sequestro e cárcere privado do filho dele com Eliza.
A decisão do Supremo Tribunal Federal para a libertação de Bruno foi tomada por meio de liminar, por apenas um ministro: Marco Aurélio Mello. Ela pode ser mantida ou suspensa. É que o habeas corpus ainda vai ser julgado pelo STF. Se for negado, Bruno terá que voltar para a prisão. A demora da justiça foi o principal argumento da defesa para conseguir o alvará de soltura.
Na decisão desta sexta, o ministro do Supremo Marco Aurélio Mello, disse que os fundamentos da preventiva não resistem a exame que colocou-se em segundo plano o fato do paciente ser primário e possuir bons antecedentes. E que o paciente está preso há seis anos e sete meses sem culpa formada, ou seja, sem condenação definitiva.
Nas palavras do ministro nada justifica tal fato. A complexidade do processo pode conduzir ao atrasado na apreciação da apelação, mas jamais a projeção no tempo de custódia que se tem com a natureza de provisória.
Bruno Fernandes saiu do presídio no início da noite desta sexta (24) acompanhado pela mulher Ingrid Calheiro e advogados.
A advogada Maria Lúcia Borges Gomes, que representa a mãe de Elisa Samúdio, disse que dona Sônia ficou muito tensa com a libertação do ex-goleiro. A advogada também declarou que espera que a liminar seja derrubada pelo Supremo. (Jornal Nacional)

Compartilhe: WhatsApp, Faceboock, etc...

0 comentários: