Mostrando postagens de Janeiro 13, 2017Mostrar tudo

Hackers invadem site da Prefeitura de Serra Talhada, pedem resgate e ameaçam queimar todo o sistema

Quem tentou acessar o site da Prefeitura de Serra Talhada, nesta quinta-feira (12), se deparou com a página sem conteúdo e uma mensagem ameaçadora. Hackers, criminosos cibernéticos; apagaram todas as informações existentes. Inclusive, editais de licitações públicas em andamento, portal da transparência, serviços de notas fiscais eletrônicas e até emissão de contra-cheques.
O curioso é que o ‘ataque’ tem um diferencial, Na mensagem, os criminosos alertam que os arquivos foram criptografados e que haverá o desbloqueio apenas com um pagamento de ‘um btc’- uma espécie de moeda virtual que vale cerca de R$ 2.700 no mercado. No final, os hackers ameaçam: “Se o pagamento não for efetuado até amanhã a noite vamos queimar todo sistema”. Foi o que informou o Farol de Notícias.

De cada três novos desempregados no mundo em 2017, um será brasileiro

O Brasil terá em 2017 o maior aumento do desemprego entre as economias do G-20 e adicionará 1,4 milhão de novos trabalhadores sem emprego à sociedade até 2018. Os dados são da Organização Internacional do Trabalho que, em um informe publicado nesta quinta-feira, alerta que o desemprego no País vai continuar a se expandir para atingir um total de 13,8 milhões de brasileiros até o ano que vem.
A OIT estima que, entre 2016 e 2017, o exército de desempregados no planeta aumentará em 3,4 milhões. Mas o epicentro dessa crise será o Brasil, responsável por 35% desse número, com 1,2 milhão em 2017 e mais 200 mil em 2018. De cada três novos desempregos no mundo, um será brasileiro.
Em termos absolutos, o Brasil terá a terceira maior população de desempregados entre as maiores economias do mundo, superado apenas pela China e Índia, países com uma população cinco vezes superior a do Brasil. Nos EUA, com uma população 50% superior à brasileira, são 5 milhões de desempregados a menos que no País.
“As coisas vão piorar no Brasil antes de voltar a melhorar”, alertou o economista-sênior da OIT, Steve Tobin. Pelos dados da entidade, o número de brasileiros sem empregos passará de 12,4 milhões em 2016 para 13,6 milhões em 2017. Para 2018, o número total chegará a 13,8 milhões.
Em termos percentuais, o salto no desemprego no Brasil vai ser o maior entre as economias do G-20. A taxa irá passar de 11,5% em 2016 para 12,4% em 2017. Ao final de 2018, apenas a África do Sul terá um índice de desemprego ainda superior ao do Brasil.
Na avaliação de Tobin, existem indicações de que a economia brasileira vai começar a se recuperar em 2018. Mas um impacto no mercado de trabalho não seria imediato, já que empresas tendem a aguardar antes de voltar a contratar. “Mesmo que o PIB melhore, existe uma reação retardada no mercado de trabalho”, explicou. Na avaliação da entidade, a recessão em 2016 no Brasil foi “mais profunda que antecipada” e que essa realidade ainda vai se fazer sentir em 2017.
Um dos temores ainda da OIT é de que a informalidade no mercado de trabalho brasileiro cresça, assim como a taxa de pessoas em empregos precários.

Pernambuco está entre os 10 estados mais perigosos no trânsito

Pernambuco é um dos estados mais violentos do país quando o assunto é trânsito. Um levantamento inédito revelou que o estado é o nono do Brasil em números absolutos de morte no tráfego. Os municípios de Ouricuri; Trindade, no Sertão, e Agrestina, no Agreste, são as cidades com as maiores taxas de óbitos no estado. Já Abreu e Lima; Camaragibe e Glória do Goitá são as que menos registram mortes relacionadas ao trânsito. O índice é calculado levando em consideração o número de óbitos a cada 100 mil habitantes.
De acordo com a pesquisa encomendada pela empresa de bebidas alcoólicas AmBev e realizada pela consultoria Falconi divulgada este mês, Pernambuco registrou 1.948 óbitos por acidentes de trânsito em 2014. Cerca de 50% desses envolveram motociclistas. O estado tem índice de 21 óbitos por 100 mil habitantes, taxa ligeiramente inferior à nacional (21,9 no Brasil).
Segundo o relatório, as cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife e Brasília somaram quase 10% do total de mortes no trânsito registrados em 2014. A capital pernambucana é a quarta cidade do país em número de óbitos. O taxista Almir Bezerra, 57, que trabalha dirigindo há 35 anos, opina que a violência no trânsito da cidade vem da falta de educação dos motoristas. “O uso de celular ao volante, falta de atenção e pressa dos motoristas é o que tem de pior nas ruas”, afirmou.

Adolescente vítima de estupro disse estar grávida de suposto abusador em São José do Egito

A guarnição ordinária foi acionada pela permanência da 3ª CPM para atender uma ocorrência no Centro da cidade. Chegando ao local familiares da vítima estavam segurando E. L. de A., 43 anos, o qual apresentava algumas escoriações pelo corpo, e relataram que o mesmo havia abusado sexualmente da vítima (uma adolescente de 15 anos). A adolescente, que é enteada do acusado, confirmou o estupro e disse está grávida em decorrência dos abusos que sofreu. A mãe da vítima relatou ainda que já vinha desconfiada do comportamento do mesmo. Diante da denúncia, as partes foram conduzidas a delegacia local, onde será instaurado inquérito policial para apuração dos fatos.

TRAGÉDIA: Quatro trabalhadores morrem ao fazer limpeza de poço

Quatro pessoas morreram e outras quatro foram socorridas se sentindo mal, depois de entrarem em poços na zona rural de Barra de São Miguel, no Cariri paraibano. O caso ocorreu por volta das 14h30 (horário local) desta quinta-feira (12). Segundo as primeiras informações divulgadas pela Polícia Civil, as vítimas estavam fazendo uma limpeza no poços quando tiveram um mal estar.
Os quatro homens socorridos no local foram levados para o Hospital de Trauma de Campina Grande. De acordo com a unidade de saúde, as vítimas estavam conscientes e em observação. Uma das vítimas, Luciano Costa, disse que não lembra de nada, apenas de ter corrido para ajudar e ter inalado um gás que o fez perder a consciência e quando acordou já estava no hospital em Campina Grande.
Segundo informações iniciais dadas pela enfermeira Lúcia de Fátima do posto de saúde do sítio Riacho Fundo, onde vítimas foram atendidas, quatro trabalhadores de uma propriedade entraram no poço para fazer uma limpeza e morreram.
A causa das mortes ainda é investigada, mas inicialmente a equipe de saúde suspeita de que a água poderia estar com veneno, segundo a enfermeira.
“Foi algo muito estranho. Nos disseram que os homens foram entrando e reclamando que estavam passando mal e em seguida morrendo. Primeiro entraram dois e depois os outros dois entraram para tentar ajudar os que estavam dentro e também morreram. Já em outro poço, no mesmo sítio, outros quatro homens foram fazer o mesmo serviço e saíram do poço se sentindo mal. Esse poços foram soterrados por um rio, depois de algumas chuvas. Eles fazer a limpeza para reativá-los”, disse a enfermeira.
Já o sargento Eugênio, do Corpo de Bombeiros que foi ao local acredita que não houve envenenamento. Ele suspeita que as mortes ocorreram por falta de oxigênio dentro do poço. “A informação que a gente obteve é de que um deles estava fazendo algum tipo de manutenção no fundo do poço e ao perder a consciência, os outros três desceram para tenta ajudar o mesmo e acabaram também perdendo a consciência por falta de ar. Como no fundo do poço tem água, é possível que eles tenham sofrido afogamento. Não constatamos nenhum indício de substância tóxica”, explicou o sargento.
Segundo as informações do Corpo de Bombeiros de Campina Grande, os poços têm cerca de 10 metros de profundidade. Das quatro pessoas retiradas, duas precisaram de atendimento e foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “O poço tem aproximadamente 10 metros e quando se está fazendo alguma atividade por longo período é comum faltar oxigênio. E se a pessoa não sair em tempo hábil vai perder a consciência”, disse o sargento.
Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, uma dos homens sobreviventes disse que eles estavam no local quando se sentiram tontos e com ressecamento das vias aéreas. O delegado de Polícia Civil, Victor Melo, que está responsável pelo caso, não havia chegado ao local até 17h40 (horário local).

7,64%, anuncia MEC

O piso nacional para profissionais do magistério em 2017 será reajustado em 7,64%, para R$ 2.298,80. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 12, pelo Ministério da Educação (MEC). O valor atual é de 2.135,64. O piso salarial para os profissionais do magistério público da educação básica é o valor mínimo que os professores em início de carreira devem receber.
A regra vale para todo o País, tanto para profissionais que atuam na educação infantil quanto aqueles que dão aulas no ensino fundamental ou no médio. Esses profissionais devem ter formação em magistério em nível médio, carga horária de trabalho de 40 horas semanais. O valor do piso salarial nacional é calculado com base no que é destinado por matrícula no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) dos dois últimos anos.
O piso define o salário de professores, diretores, coordenadores inspetores, supervisores, orientadores e planejadores escolares em início de carreira, com formação em magistério ou normal e carga horária de 40 horas semanais. Embora determinado por lei, vários Estados e municípios não cumprem o pagamento do piso salarial nacional do magistério. Outra forma comum de burlar o valor mínimo colocada em prática por parte dos gestores é não garantir ao docente o cumprimento de um terço de sua jornada com atividades extraclasse. Por lei, o governo federal deve cooperar tecnicamente com os Estados e municípios que não conseguirem assegurar o pagamento do piso.

Espécie de morcego começa a se alimentar de sangue humano no Sertão de PE, diz pesquisa

O estudo foi conduzido no Parque Nacional do Catimbau, na região de caatinga de Pernambuco.
Direito de imagem Enrico Bernard Image caption Estudo revela mudança no hábito alimentar de morcego-vampiro-de-pernas-peludas, até então conhecido por consumir exclusivamente sangue de aves
Uma espécie de morcegos encontrada no Brasil, até então conhecida por consumir exclusivamente sangue de aves, está se alimentando agora de sangue humano.
A revelação está em uma pesquisa conduzida por cientistas brasileiros e publicada em dezembro na revista científica Acta Chiropterologica, a mais importante publicação do mundo voltada à pesquisa de morcegos.
O estudo analisou 70 amostras de fezes da espécie Diphylla ecaudata, popularmente conhecida como morcego-vampiro-de-pernas-peludas.
Os cientistas conseguiram extrair o DNA de 15 delas – e em três descobriram vestígios de sangue humano, explica Enrico Bernard, professor do Departamento de Zoologia da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e responsável pela pesquisa.
O estudo foi conduzido no Parque Nacional do Catimbau, na região de caatinga de Pernambuco, a cerca de 300 km do Recife.
“Das três espécies de morcegos-vampiros que conhecemos, sabíamos que apenas uma delas se alimentava de sangue humano”, conta Bernard, em entrevista à BBC Brasil.
“Mas nosso estudo mostrou agora que outra espécie, o morcego-vampiro-de-pernas-peludas, que só se alimentava do sangue de aves, também passou a consumir sangue humano”, acrescenta o especialista.
Bernard explica que, diferentemente do sangue de aves, rico em gordura, o dos mamíferos é mais espesso e rico em proteína.
“Sabíamos que essa espécie (morcego-vampiro-de-pernas-peludas) tinha uma adaptação fisiológica para digerir apenas o sangue de aves. Mas isso parece estar mudando, já que ela passou a se alimentar de sangue humano”, afirma.
Causas
Na avaliação de Bernard, considerando que o morcego-vampiro-de-pernas-peludas tem fisiologicamente menos tolerância ao sangue de mamíferos, os novos hábitos alimentares da espécie “reforçam um cenário de escassez de presas”.
“Sendo assim, ou o comportamento alimentar desse bicho é muito mais variável do que imaginávamos até hoje, ou há uma restrição significativa de suas presas nativas”, diz o especialista.
Bernard afirma que os resultados do estudo parecem validar a segunda hipótese.
“Essa porção da caatinga vem sendo bastante alterada pela presença humana. As presas nativas desse tipo de morcego – aves maiores, em sua maioria – estão desaparecendo e seu habitat sendo ocupado por seres humanos e seus animais domésticos”, afirma.
“Nosso estudo mostrou, por exemplo, a presença de sangue de galinha em algumas das amostras que coletamos.”