Dois mil celulares apreendidos nos presídios do estado são entregues a estudantes de cursos de tecnologia

O Centro de Recondicionamento de Computadores do Recife (CRC) recebe, na manhã desta terça-feira (6), cerca de dois mil celulares apreendidos em presídios do estado. Os aparelhos serão destinados a estudantes de cursos de tecnologia em situação de vulnerabilidade social.
O secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, participará da entrega na sede do instituto, no bairro de Dois Irmãos, Zona Norte do Recife. Jovens beneficiados pela iniciativa também estarão presentes.
Os alunos do CRC têm perfil de vulnerabilidade socioeconômica. São estudantes de escola pública e moram em cidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Além de atender pessoas da Região Metropolitana do Recife, a ONG também instalou um centro de ensino em Rio Formoso, Mata Sul do estado.
Um termo de cooperação técnica assinado em abril pela secretaria e o CRC é inédito no país e tem o objetivo de promover aprendizado aos jovens e a preservação do meio ambiente. Na solenidade de assinatura, foram entregues 600 aparelhos.
“Não podemos ficar com o lixo eletrônico que vem das unidades prisionais, nem comprometer o meio ambiente jogando o resíduo fora. Gostaria de não apreender nenhum celular em unidades prisionais, mas, como isso ainda acontece, precisamos dar um destino a eles para que não retornem à prisão”, afirmou Pedro Eurico.
Quando chegam ao CRC, os aparelhos são segregados. O plástico é destruído e descartado conforme a política de descarte de resíduos sólidos. As placas, baterias e vibra calls são transformados em robôs, bengalas e chapéus sonoros para deficientes visuais, entre outras ferramentas. O vidro dos aparelhos pode virar luminárias e quadros.
Em 2018, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) apreendeu 2.410 aparelhos nas 23 unidades do estado. Até julho deste ano, foram 1.572.