Governo Bolsonaro anuncia investimentos de R$ 807,7 mi em Pernambuco até dezembro

O ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, participou na tarde desta quinta-feira (3) de uma reunião na sede da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), no Recife. Ao lado dele, a secretária especial de Assuntos Federativos, Deborah Arôxa, falou sobre investimentos do governo Bolsonaro em Pernambuco até o fim do ano.
Segundo Arôxa, o governo federal pretende repassar R$ 807,7 milhões para Pernambuco até dezembro de 2019. O valor seria distribuído entre as áreas de água, esportes, defesa civil, habitação, hospitalar, hidrovias, pavimentação, praças, saneamento, transporte, segurança pública e urbanização.
O valor seria distribuído entre 22 municípios pernambucanos nessa primeira fase. São eles: Petrolina, Santa Cruz do Capibaribe, Floresta, Ouricuri, Exu, Jaboatão dos Guararapes, Moreilândia, Santa Filomena, Ipojuca, Araripina, Granito, Custódia, Sertânia, Bodocó, Trindade, Inajá, Arcoverde, Ipubi, Ibimirim, Betânia e Manari.
O plano do governo é investir em 1450 cidades nordestinas em 4 anos.
O dinheiro é oriundo de recursos da União, entre investimento e crédito. Segundo Arôxa, o valor vem sendo investido desde maio, quando o Plano Nordeste foi anunciado pelo gestão Bolsonaro.
Na ocasião também estavam presentes os deputado federais Luciano Bivar (PSL-PE), Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), além do prefeito de Afogados da Ingazeira e presidente da Amupe, José Patriota (PSB). O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) e o deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE) também foram convidados para o evento, mas não compareceram.
O presidente da Amupe, José Patriota, leu uma carta da associação com pontos de reivindicação. Os prefeitos querem que o governo federal se comprometa a articular junto ao Congresso para a aprovação da PEC que inclui municípios na reforma da Previdência.
Também pedem a aprovação da PEC da Cessão Onerosa, que garante porcentagem dos lucros do pré-sal na Bacia de Santos para as cidades. Outra demanda é a transferência direta de recursos da União para os municípios.