https://www.facebook.com/pg/saudeiguaracy/posts/?ref=page_internal

Homem é preso suspeito de desviar milhões de amigo ganhador da Mega-Sena; milionário já tinha sofrido outro golpe

Ganhar na Mega-Sena é o sonho de muita gente. A esperança de mudar de vida faz muita gente apostar na loteria, que costuma pagar milhões ao vencedor. No entanto, juntamente com todo dinheiro, emboscadas de pessoas próximas passam a ser comuns na vida dos novos milionários. Foi o caso de um ex-morador da Vila Cruzeiro, na Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro, que viu sua vida mudar completamente em 2017, quando faturou mais de R$ 100 milhões.
Na época, ao revelar ao pastor da igreja que frequentava, que tinha sido o vencedor, o religioso indicou um administrador, que acabou lhe aplicando um golpe. Com o prejuízo, o milionário procurou outra pessoa para tomar conta da sua fortuna, quando conheceu André Luiz Lobo, de 39 anos, preso na última quinta-feira, suspeito de desviar milhões, inclusive imóveis, do patrimônio total do ganhador da Mega.
Segundo informações da Delegacia de Defraudações (DDEF), no Rio de Janeiro, o valor do prejuízo ainda não foi totalmente calculado. No entanto, apenas numa conta bancária, onde o vencedor da Mega-sena mantinha R$ 35 milhões investidos, após o registro da ocorrência, notou-se que, agora, restavam R$ 16 milhões. Na última sexta-feira, após a prisão, policiais foram à residência de André, no Vivendas da Barra, onde apreenderam documentos, computadores e passaporte, e descobriram mais detalhes sobre a trama.
De acordo com a polícia, o esquema de desvio de dinheiro e imóveis supostamente feito por André foi descoberto de vez pelo amigo quando um pintor que fazia uma obra em sua casa comentou que também estava trabalhando numa grande construção na residência de André, e que um detalhe curioso também chamava atenção. "De um tempo para cá, ele começou a desconfiar do André, pelo comportamento, pelas roupas que ele vinha usando, ele disse que havia descoberto até uma coleção de (relógios) Rolex, e aí começou a achar estranho, porque era incompatível com seu salário, de cerca de R$ 12 mil. O ápice da história foi quando um pintor que trabalhava em sua casa comentou inocentemente que estava trabalhando também na obra da casa do André, e que estava ficando muito bonita. Ele acrescentou que a piscina, inclusive, era igual. Foi aí que ele chamou um advogado para levantar tudo", revelou o delegado Marcos Cipriano, delegado titular da DDEF.
Após ser descoberto, André, segundo a investigação, passou a ameaçar testemunhas e pretendia fugir do país neste sábado, mas foi preso dois dias antes da fuga programada, através de um mandado de prisão temporária, expedido pela 17ª Vara Criminal da Capital. Os investigadores já sabem que André se aproximou do ganhador da Mega-sena por ser irmão de um amigo seu de infância, que vinha trabalhando como motorista do afortunado. Todo caso será investigado pela DDEF. (Via: TV Globo)