Relembre 20 notícias trágicas que fizeram de 2019 um ano "tenebroso"

"Tenso", "trágico", "tenebroso", com certeza esses foram os adjetivos mais utilizados entre as pessoas para descrever 2019. Independente de qualquer ideologia é preciso concordar que o ano foi meio pesado. De janeiro a dezembro, diversos acontecimentos ganharam destaque na imprensa e, infelizmente, a maior parte deles, com certeza, nos levou a pensar: 'que ano difícil'. Desde a lama que "engoliu" uma cidade, matando mais de 200 pessoas, ao fogo que matou dez jovens e também destruiu florestas, 2019 reservou muitos fatos que não deixarão saudades.
Depois das retrospectivas das editorias de Entretenimento, Esporte, Política e Justiça, o BNews relembra os casos trágicos que marcaram o ano que se encerra às 0h desta quarta-feira (1º).
Confira:
1 - Brumadinho
No dia 25 de janeiro, a barragem de rejeitos da Vale, no Córrego do Feijão, se rompeu na cidade de Brumadinho, próxima a Belo Horizonte, em Minas Gerais. A tragédia destruiu casas e propriedades rurais, e resultou na morte de mais de 200 pessoas. As buscas pelas vítimas duraram o ano inteiro. Uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) foi criada na Câmara dos Deputados para investigar as causas da tragédia, que, segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), poderia ter sido evitada. Mais de 22 pessoas foram indiciadas por homicídio doloso, lesão corporal dolosa, destruição de área florestal e poluição ambiental com sérios danos à saúde e ao meio ambiente.
2 - Incêndio no CT do Flamengo
14 dias após o rompimento da barragem em Brumadinho, o Brasil se deparou com mais uma tragédia. No dia 8 de fevereiro, o alojamento dos jogadores da categoria de base do Flamengo pegou fogo durante a noite. O incêndio, que vitimou 10 atletas, acendeu a luz de alerta sobre a infraestrutura e as condições dos centros de treinamento e alojamentos destinados aos atletas no país. No caso do Ninho do Urubu, as investigações apontam que o incêndio começou a partir do curto-circuito no sistema de ar-condicionado do alojamento.
3- Adeus a Ricardo Boechat
Ainda no mês de fevereiro, o Brasil chorava a morte do jornalista Ricardo Boechat, de 66 anos. Ele morreu na queda de um helicóptero em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, que liga a capital paulista ao interior. O piloto da aeronave, Ronaldo Quatrucci, também morreu carbonizado.
4- Chuva mata mais de 10 pessoas em São Paulo
A forte chuva que caiu em São Paulo e na Região Metropolitana na noite do dia 10 de março e madrugada do dia 11 deixou 13 mortos, segundo a Defesa Civil do estado. As mortes foram registradas nas cidades de Ribeirão Preto, São Caetano do Sul, Santo André, Embu das Artes, São Bernardo do Campo, além da capital paulista.
5- Massacre em escola
Já no dia 13 de março, o massacre em uma escola na cidade de Suzano, em São Paulo, tomou conta dos noticiários. Dois ex-alunos invadiram a Escola Estadual Professor Raul Brasil e atiraram contra alunos e funcionários durante o recreio. O tiroteio deixou dez mortos e vários feridos. Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, usaram um revólver, uma machadinha e uma besta (espécie de arco e flecha). Após o crime, os atiradores se mataram.
6- 80 tiros
Militares em um jipe do Exército fuzilaram com 80 tiros um carro em Guadalupe, área na zona norte do Rio de Janeiro, na tarde do dia 7 de abril. Um homem morreu: ele foi identificado posteriormente como Evaldo dos Santos Rosa, 51 anos, trabalhava como músico e segurança. O catador de recicláveis, Luciano Macedo, baleado ao tentar ajudar a família que estava no carro, também morreu cerca de 10 dias depois. Nove militares chegaram a ser presos, mas foram soltos posteriormente.
7- Chuva também deixa mortos Rio de Janeiro
A tempestade que caiu no Rio de Janeiro na noite do dia 8 de abril deixou ao menos dez mortos. Segundo o sistema Alerta Rio, da Prefeitura, a chuva foi a maior em 22 anos registrada na cidade. Sete das vítimas estavam na Zona Sul, entre elas a avó e a neta que tentaram fugir da chuva num táxi.
8- Desabamento mata mais de 20 no Rio
Quatro dias após a chuva, os olhares se voltavam para a capital carioca. No dia 12 de abril, dois prédios desabaram no Condomínio Figueiras do Itanhangá, na comunidade da Muzema, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro, deixando 24 mortos e centenas de desabrigados. Os prédios eram construções irregulares e ilegais que haviam sido interditados duas vezes, no final do ano passado e em fevereiro deste ano.
9- Partida precoce
O cantor e compositor Gabriel Diniz morreu, aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte na região da Praia do Saco, em Estância, Sergipe, na tarde do dia 27 de maio. Gabriel ficou conhecido nacionalmente após lançar a música Jenifer, em janeiro deste ano. Na noite anterior à morte, o cantor fez show em Feira de Santana, na Bahia.
10- Barragem rompe e deixa desabrigados na Bahia
No dia 11 de julho, a cidade de Coronel João Sá, no Nordeste baiano, virou um cenário de destruição depois do rompimento da barragem do Quati, na vizinha Pedro Alexandre. A água inundou o município e deixou cerca de 150 famílias - 500 pessoas - desabrigadas. A força da água destruiu casas e até o cemitério local.
11- Massacres em presídios
Em maio, 55 detentos foram mortos dentros de presidios de Manaus. A maioria das vítimas do massacre morreu de asfixia ou golpeada por objeto perfurante. Dois meses após, um confronto entre facções criminosas dentro do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará, nesta segunda-feira (29) deixou 57 detentos mortos. Este é um dos maiores massacres em presídios desde o ocorrido no Carandiru, em 1992. Na época, 111 detentos foram mortos na Casa de Detenção, na Zona Norte de São Paulo.
12- Destruição na Amazônia
Em agosto, os olhos do Brasil e do mundo se voltam para a maior floresta tropical e maior reserva de biodiversidade da Terra. Agosto deste ano foi o pior mês para a Amazônia desde 2010. O número de queimadas na região triplicou em relação a agosto do ano passado, passando de 10.421 em 2018 para 30.901 em 2019. O recorde anterior, há nove anos, foi de 45.018 focos de incêndio na parte brasileira do bioma.
13- Menina Ágatha
A menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, foi morta quando voltava para casa com a mãe, na noite do dia 20 de setembro, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. A criança estava dentro de uma Kombi, por volta das 21h30, quando foi baleada nas costas na comunidade da Fazendinha. De acordo com um tio de Ágatha, a Kombi em que a menina estava parou na rua para desembarcar passageiros com sacolas de compra na comunidade. A criança estava sentada dentro do veículo quando foi atingida.
14- Mais um desabamento
Seis meses após o desabamento do prédio no Rio de Janeiro, um edifício residencial desabou na manhã do dia 13 de outubro, no Bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza. A tragédia deixou nove mortos.
15- Manchas no mar
Manchas de óleo surgiram em nove praias de cinco estados da Região Nordeste, segundo informações do Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA), formado por Marinha, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Manchas de óleo cru começaram a aparecer nas praias do litoral nordestino no final de agosto e atingiram mais de 200 localidades em todos os estados da região. Desde então, foram recolhidas mais de mil toneladas do produto, numa extensão de 2,5 mil quilômetros. Diversas praias da Bahia também foram atingidas.
16- Queda de avião mata cinco pessoas na Bahia
Um avião executivo caiu na pista de pouso de um resort de luxo que está desativado, em Maraú, no baixo sul da Bahia, no dia 14 de novembro, e deicou cinco mortos. Morreram no acidente, Marcela Brandão Elias, de 37 anos, o filho, Eduardo Trajano Elias, d 6 anos, Maysa Marques Mussi, de 32, (irmã de Marcela), o ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha e o copiloto da aeronave Fernando Oliveira Silva, de 26 anos.
17- Morre Gugu Liberato
O apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato, mais conhecido como Gugu Liberato, morreu no dia 22 de novembro em decorrência de um acidente ocorrido em sua casa na Flórida, EUA. O apresentador tinha 60 anos. Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa do apresentador, ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado em um sótão.
18- Salvador debaixo d’água
A forte chuva que atingiu Salvador no dia 26 de novembro causou transtornos e prejuízos. Rios transbordaram, como nas regiões do Bom Juá, Lucaia e Bate Facho. Diversos pontos de alagamento pela cidade causaram transtornos a pedestres e motoristas. Na ocasião, a capital baiana registrou uma maior quantidade de chuva do que o esperado para todo o mês de novembro.
19- Mortes em Paraisópolis
No primeiro dia do mês de dezembro, nove pessoas, sendo uma mulher e oito homens, morreram pisoteadas durante um baile funk na comunidade de Paraisópolis, na Zona Sul de São Paulo, depois de uma perseguição policial seguida de tiros, segundo a Polícia Civil. Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas, e duas foram internadas.
20- Chacina de motoristas por aplicativo
Uma chacina provocada por traficantes vitimou quatro motoristas de aplicativo no dia 12 de dezembro, no bairro da Mata Escura, em Salvador. Os assassinos montaram uma emboscada e chamaram cinco condutores, que foram mantidos em cárcere privado em um barraco, onde foram torturados e depois executados. Um deles conseguiu fugir, após outro reagir e entrar em luta corporal com os suspeitos. Quatro pessoas suspeitas de envolvimento no crime morreram dias depois. Dois foram encontrados mortos e outros foram baleados em confronto com policiais. Um quinto suspeito foi preso no dia 26 de dezembro. (Via: BNews)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO GOVERNO DE IGUARACY