https://www.facebook.com/pg/saudeiguaracy/posts/?ref=page_internal

Supermercados estão passando por "Vilões", disse Alessandro Queiroz que afirmou que os aumentos partem dos fornecedores.

Empresário disse que na próxima quinta-feira (16) estará no Debate das Dez na Rádio Pajeú.
http://www.afogadosveiculos.com/search/label/LOJAS%20DE%20VE%C3%8DCULOS%20COM%20SITE?&max-results=500?m=1/
Em conversa com a redação da Web Sertão, o empresário da rede de Supermercados Avistão, Alessandro Queiroz, disse que mediante a pandemia que estar se passando, os supermercados estão passando por vilões e que uma parte da população não esclarecida está metendo o pau dizendo que os donos de supermercado estão aproveitando o momento para aumentar os preços, mas que a coisa não é bem assim, afirmou.
Alessandro disse que empresas que fornecem mercadorias aos supermercados aumentaram o valor de praticamente todos os insumos da cesta básica e que além disso, estão também segurando as vendas. Alessandro citou como exemplo que antes da crise, chegava a comprar de dois a três caminhões de arroz por mês, agora vem conseguindo apenas um caminhão por mês e o valor tem que ser pago antecipado. Para se ter um ideia, disse Alessandro, o arroz que se comprava por volta de 46 a 49 reais em Janeiro, comprei esta semana, a 81 reais, o arroz caçarola, disse.
Queiroz afirmou que decidiu baixar ao máximo a margem de lucro para ver se os produtos não ficam tão caros para os clientes, mas que fica triste em saber que a maioria das pessoas estão creditando os aumentos aos donos de supermercados, por ganancia.
Debate das Dez - Alessandro Queiroz disse que na próxima quinta-feira (16), estará juntamente com demais empresários de supermercados e outros seguimentos, participando do Programa Debate das Dez na Rádio Pajeú onde vai mostrar as notas fiscais de quanto custava antes e quanto está custando agora as mercadorias, e que vai provar a população que o supermercado não está se aproveitando com esta pandemia, "estamos também perdendo junto com todos os demais comerciantes, o comércio aberto trás o público para a cidade, o comércio paga seu funcionário e os funcionários vem em nossos estabelecimentos fazer sua feira, de uma forma ou de outra, saí todo mundo perdendo com esta crise causada pela pandemia do coronavírus", disse.