https://www.facebook.com/pg/saudeiguaracy/posts/?ref=page_internal

Profissionais de segurança realizam ato “Vidas policiais importam” neste domingo


O número de policiais assassinados cresceu 24%, passando de 83 para 103 vítimas entre policiais civis e militares da ativa. Pernambuco saltou de 7 agentes mortos para 10. A morte do cabo Derinaldo Cardoso dos Santos, 34 ano, baleado à queima-roupa durante assalto aa uma loja no Rio de Janeiro gerou comoção entre profissionais de segurança pública em todo Brasil, os quais realizam ato nacional em defesa da vida policial. O “Vidas Policiais Importam” acontece neste domingo, a partir das 10h no Parque Dona Lindu.
A iniciativa em Pernambuco é do Projeto Juntos Somos Fortes, coordenado pelo deputado Joel da Harpa. Segundo ele, as forças policiais muitas vezes sofrem críticas indevidas quando um ou outro policial se desvia do cumprimento de sua missão, mas não se pode permitir que as fiquem sujeitas a atos de violência sem que os infratores fiquem sujeitos as sanções que devem ser efetivas e reais.
A falta de penas mais duras e as brechas na legislação favorecem a falta de limites e o sentimento de impunidade. Em São Paulo, o crescimento chegou a 75%, com 28 policiais assassinados no período, e pelo Ceará, que não registrou nenhum óbito de policial no ano anterior e teve 10 policiais assassinados este ano.
Outros estados que viram crescer o número de policiais vitimados foram Mato Grosso do Sul, passando de 1 policial assassinado no primeiro semestre de 2019 para 3 mortos em 2020; Minas Gerais, que tinha 1 policial vítima de homicídio nos seis primeiros meses de 2019 e registrou 2 mortos no primeiro semestre de 2020; e Rio de Janeiro, que passou de 19 para 24 agentes mortos. Ressaltando que são dados captados no primeiro semestre. Os números certamente já sofreram alterações.