Profissionais criticam a proibição de eventos anunciada pelo governo de Pernambuco por causa da covid-19


Os profissionais do setor receberam com revolta a proibição, pelo governo do Estado, de realizar eventos de qualquer natureza, sejam corporativos ou sociais, a partir da próxima segunda-feira (25). Válida por 30 dias, a decisão foi anunciada nesta quarta-feira (20) em entrevista coletiva dos secretários estaduais de Saúde, André Longo, e do Turismo, Rodrigo Novaes.
“É um prejuízo enorme para o setor. Ao realizar o evento não se contrata apenas quem faz o evento, mas quem vende a passagem aérea, quem cultiva as flores, o aluguel de veículos, entre outros”, comentou a presidente da regional pernambucana da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC), Tatiana Marques. Atualmente, estava permitida a realização de eventos para até 150 pessoas.
“Estamos numa pandemia desde fevereiro do ano passado. Não foi um terremoto. Passamos 320 dias sem trabalhar na integralidade. Acabou de acontecer o Janeiro de Grandes Espetáculos com verba pública e para 150 pessoas. O sentimento do setor é de revolta e desespero”, comentou Tatiana, argumentando que as pessoas que vão realizar um casamento ou evento na próxima semana já estão com todos os serviços contratados, como alimentação, a empresa de tecnologia que faz a inscrição, entre outros. Para ela, é muito difícil indicar o tamanho do prejuízo que a medida vai trazer ao setor.