Em Sertânia, Bolsonaro diz que fará mudanças na Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro esteve na cidade de Sertânia, no Sertão de Pernambuco, na manhã desta sexta-feira (19). Bolsonaro fez uma rápida visita ao estado para participar da cerimônia de acionamento das comportas do 1º trecho do Ramal do Agreste. Segundo o governo federal, a estrutura vai distribuir a água do Eixo Leste do projeto do Rio São Francisco para 2,2 milhões de pessoas.
Bolsonaro foi saudado por apoiadores na chegada à cidade. O presidente estava acompanhado do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, do ministro do Turismo, Gilson Neto, e do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do governo no Senado. Também estiveram presentes na comitiva o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), e a presidente da Compesa, Manuela Marinho. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), não acompanhou a visita.
Bolsonaro voltou a ficar em silêncio sobre a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), reafirmou que fará mudanças na Petrobras e cobrou transparência da empresa. “Anuncio que teremos mudança, sim, na Petrobras. Jamais vamos interferir nessa grande empresa, na sua política de preço. Mas o povo não pode ser surpreendido com certos reajustes. Faça-os, mas com previsibilidade. É isso que queremos”, apontou.
Bolsonaro também falou sobre a pandemia do novo coronavírus. O presidente afirmou que a “máscara de quem politizou o vírus está caindo” e fez novas críticas às medidas restritivas contra a Covid-19.
”Temos percalços, temos problemas, como ainda temos o grande problema da pandemia, entre outros. Porque aquela política do ‘fique em casa’, feche o comércio, com uma consequência imediata de destruição de milhões de empregos, isso tem que ser mudado”, declarou.
“Sempre falei que tínhamos dois problemas lá atrás: o vírus e o desemprego. Deveríamos tratar dos dois com responsabilidade e de forma simultânea. Aqueles que quiseram fazer política com a questão do vírus, a máscara está caindo e o povo entende quem realmente teve coragem, discernimento e muita preocupação em tratar um assunto como esse”, completou. (Correio Brasiliense).