Forças armadas compraram mais de 700 mil quilos de picanha e 80 mil cervejas com dinheiro público


A melhor picanha, com o quilo sendo vendido a R$ 84,14. Junto no almoço, cervejas especiais, de puro malte, a R$ 9,80 cada unidade. Esses foram alguns dos artigos comprados pelas as Forças Armadas brasileiras com dinheiro público, ao longo de 2020. A verba foi usada para bancar a compra de mais de 700 mil quilos de picanha e 80 mil cervejas.
Os dados são parte de um levantamento que utilizou informações do Painel de Preços do Ministério da Economia, a mesma ferramenta que revelou as compras milionárias de leite condensado e outros produtos, como chiclete. Como justificativa o Ministério da Defesa afirmou que se tratava de um item consumido por seu teor energético e as quantidade serem aumentadas “pelo público jovem”, se referindo aos militares.
Essas despesas com bebidas alcoólicas e carne já são tema de representação que deputados do PSB enviaram nesta terça-feira, 9, ao procurador-geral da República, Augusto Aras. A intenção é que se abra uma investigação para os gastos militares. Os questionamentos são não só ao tipo dos itens, mas quanto aos valores pagos, indícios de superfaturamento nas aquisições.