Sapo é encontrado dentro de cemitério com a boca colada e outras lesões no Grande Recife

O animal da espécie popularmente conhecida como sapo-cururu foi achado com a boca colada e ferimentos nas costas — Foto: Divulgação/CPRH
Um sapo foi levado para o Cetas/Tangará, unidade de tratamento de animais silvestres mantida pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), no Recife, após ser encontrado com a boca colada e outras lesões. O bicho estava em um cemitério de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana.
O animal foi encaminhado ao centro de tratamento pela veterinária Nathalia Gouveia, que o atendeu na Unidade Básica de Saúde (UBS) Pet de Jaboatão.
Por meio de nota postada no site da CPRH, o gestor do Cetas/Tangará, Yuri Marinho, informou que o animal, da espécie popularmente conhecida como sapo-cururu, apresentava ferimentos nas costas e na boca por causa da cola.
O anfíbio foi levado à unidade básica de saúde pet por uma dona de casa, que alegou ter encontrado o bicho nessa situação.
Na postagem, Yuri Marinho explicou que, após se reabilitar, o anfíbio será solto na natureza. Ele ressaltou que os anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas) são responsáveis pelo controle de diversos insetos, além de outros invertebrados.
Ainda segundo o especialista, por serem animais muito sensíveis, a ausência deles indica que o ambiente está poluído.G1