Vacina da Pfizer contra Covid consegue neutralizar três mutações do vírus, aponta estudo


A vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer junto à BioNTech foi capaz de neutralizar, em laboratório, três variantes do novo coronavírus que apareceram no Reino Unido e na África do Sul.
É o que aponta um estudo publicado nesta segunda-feria (8) na revista Nature Medicine, de acordo com informações do site "Viver bem".
O estudo analisou os anticorpos adquiridos após duas ou quatro semanas da imunização com duas doses da vacina, em um intervalo de três semanas. Ele foi testado tanto para a cepa original do SARS-CoV-2 quanto para os vírus mutantes.
O imunizante foi testado contra as mutações N501Y, D614G e E484K localizadas na proteína do vírus que se conecta com as células humanas.
Os cientistas concluíram que a vacina conseguiu neutralizar as três variantes do vírus, com uma pequena diferença: a ação contra a mutação E484K, encontrada na África do Sul, foi ligeiramente inferior à neutralização contra a mutação N501Y, identificada no Reino Unido.
Os resultados preliminares do estudo, liderados por Pei-Yong Shi, da Universidade do Texas, e Philip Dormitzer, da Pfizer, já haviam sido divulgados no mês passado. Contudo, apenas agora foram revisados por outros cientistas e confirmados em uma publicação tradicional.