Prefeitos de Iguaracy e Afogados pressionados pela falta de leito de UTI, sinalizam medidas mais duras.


O prefeito de Iguaracy, Zeinha Torres, participando do Programa Debate das Dez na Rádio Pajeú, sinalizou mais rigor se os números de casos do Covid-19 não caírem no município. “Ontem à noite pessoas de Limoeiro me ligando pedindo ajuda para arrumar vaga para paciente. As pessoas não tem ideia da gravidade do que está acontecendo. Se acontecer o que vem acontecendo com as pessoas na porta de hospital sem ter atendimento, aí eu vou fechar tudo. Quem não usar máscara, será multado. Já estou mandando a lei pra Câmara”.
Nesta quinta-feira (18), o prefeito de Iguaracy, Zeinha Torres, baixou um Decreto Municipal, disciplinando o funcionamento das Feiras Livres do Município e do comércio que tem permissão de funcionar de acordo com o Decreto Estadual que passou a vigorar nesta quinta-feira, por conta da pandemia provocada pelo novo coronavírus.
Segundo o Decreto, as feiras livres de Iguaracy e Jabitacá estará restrita apenas a comercialização de frutas, verduras, legumes e cereais e exclusivamente aos comerciantes do município de Iguaracy, com horário de funcionamento reduzido, para às 11h. (Veja na íntegra).

Já o prefeito de Afogados da Ingazeira, Sandrinho Palmeira, disse estar preocupado com o pré-colapso no sistema de saúde do estado, com possibilidade de falta de leitos ofertados a quem precisar, inclusive no Pajeú.
Ele anunciou que deve tomar medidas adicionais às anunciadas pelo governador Paulo Câmara, diante da lotação de 100% dos leitos de UTI. Dentre elas, deve ser formalizada a proibição da venda de bebidas alcoólicas no município. “Vamos nos reunir e anunciar essas medidas”. Maior fiscalização e até rodízio de estabelecimentos abertos estão sendo ventiladas.
Ainda em matéria que foi veiculada no blog do Nill Júnior, foi informado que a Gerente Regional de Saúde da XI Geres, Karla Milena, disse que duas vagas foram abertas no Hospital Eduardo Campos, mas por óbitos, não por altas. Ontem a lotação era de 100% . O colapso no sistema se prova pela possibilidade ventilada ontem de transferência de um paciente de Fernando de Noronha, que iria para o Eduardo Campos, em Serra Talhada por via aérea. Na última hora, segundo a Diretora da unidade, Patrícia Carvalho, surgiu um leito em Recife.