Pesquisa aponta que Coronavac é efetiva contra a variante P1 da Covid

 
Pesquisa indica que a Coronavac é efetiva contra a variante P1 do coronavírus, que inicialmente foi identificada em Manaus. O estudo com mais de 67 mil profissionais de saúde do Amazonas, que tomaram a primeira dose da vacina, identificou 50% de efetividade na prevenção contra a Covid.
A pesquisa mostra que a vacina da empresa chinesa Sinovac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, evita a hospitalização e mortes mesmo frente a esta variante brasileira do coronavírus.
Segundo os pesquisadores, é importante para observar o que acontece na vida real após o processo de liberação da vacina. As vacinas contra a Covid foram aprovadas após estudos com voluntários dos testes clínicos.A Coronavac é composta de vírus inativo é a vacina mais aplicada no país, 76% do total. Até o momento foram distribuídas mais de 40 milhões de doses pelo Ministério da Saúde.
O estudo foi desenvolvido pelo grupo Vebra Covid-19, que contou com pesquisadores da Fiocruz, Universidade de Brasília, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e de universidades da Espanha e Estados Unidos, com apoio das secretarias de saúde do Amazonas e de São Paulo.
A pesquisa ainda vai analisar a proteção entre os profissionais de saúde de Manaus após a segunda dose da Coronavac, o que pode aumentar sua eficácia. Também há expectativa do grupo de pesquisa avaliar as vacinas da Sinovac Biotech e da Astrazeneca produzida pela Fiocruz.
A Fiocruz, em um estudo divulgado neste mês, também comprovou que a vacina da Astrazeneca é eficaz contra a variante P1.