Pernambuco prorroga suspensão de cirurgias eletivas

O governo de Pernambuco prorrogou, até o dia 9 de maio, a suspensão das cirurgias eletivas que demandam internação hospitalar. Esses procedimentos cirúrgicos são aqueles que podem ser adiados ou reagendados sem prejuízo à saúde do paciente.
A medida de suspensão, que valeria até esta sexta-feira (30), abrange toda a rede de saúde no estado e foi motivada por causa da alta ocupação de leitos de enfermaria e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por pacientes com Covid-19.
Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, permanecem mantidas as cirurgias eletivas consideradas inadiáveis, como as oncológicas, cardíacas, transplantes e procedimentos que possam causar dano permanente ao paciente em caso de adiamento.
Além disso, também podem ser realizadas as cirurgias ambulatoriais que não precisam de internamento hospitalar. O governo estadual informou que as consultas ambulatoriais e os serviços de urgência e emergência continuam mantidos.
Ainda de acordo com a secretaria, os servidores que atuam nessas cirurgias eletivas e foram realocados para outras áreas da assistência hospitalar ou teletrabalho permanecem mantidos nessas funções.
Pernambuco confirmou 987 óbitos nos últimos 15 dias e, nesta sexta-feira (30), ultrapassou a marca das 14 mil mortes por Covid-19.
Em 24 horas, foram mais 71 óbitos contabilizados no estado, que totalizou 14.038 pessoas mortas pela doença desde o início da pandemia, em março de 2020. No dia 15 de abril, duas semanas antes, o total de mortes era de 13.051.
O número de casos de Covid-19 confirmados nesta sexta-feira (30) pela Secretaria Estadual de Saúde é de 1.917. São, desde o início da pandemia, 406.585 infectados pelo novo coronavírus.