Novo caso suspeito do fungo negro é identificado desta vez em Mato Grosso do Sul e São Paulo

Um novo caso de murcomicose, conhecido como “fungo negro”, foi identificado em Mato Grosso do Sul. Um paciente de 71 anos, com diabetes e hipertensão, positivado para a Covid-19, está com suspeita de mucormicose no olho esquerdo, segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado.
Além do caso em Mato Grosso do Sul, o Brasil registrou outros três casos do fungo negro: dois em pacientes com Covid-10, um em Santa Catarina e outro que está sendo investigado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo. O outro caso foi registrado no Amazonas em uma pessoa que tinha 56 anos, sofria de diabetes tipo 2, teve resultado negativo para o coronavírus e acabou falecendo em decorrência da infecção.
A mucormicose recebeu um destaque nos últimos dias por causa do registro de mais de 9 mil, associados à Covid-19, na Índia. A doença causa a morte em 50% das infecções, sendo necessário submeter o paciente à cirurgia para retirar a parte afetada pelo fungo.
A recomendação para evitar a infecção com o fungo negro é higienizar bem os alimentos e usar sempre luvas e máscaras na hora de limpar ambientes úmidos.
São Paulo - Mais um caso de murcomicose, conhecido como “fungo negro”, está sendo investigado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo. O paciente está infectado com a Covid-19. A informação foi confirmada pela coluna da Bela Megale, da Folha de S. Paulo.
No Brasil, outros dois casos são investigados, em Santa Catarina e em Manaus. O fungo chamou atenção nos últimos dias depois da Índia relatar mais de 9 mil casos da doença entre pacientes que se recuperavam da Covid-19.