Pernambuco deve liderar retomada econômica no Nordeste

Pernambuco foi impactado pela crise econômica gerada pela pandemia da Covid-19, que reduziu de forma significativa a sua atividade desde março de 2020. O cenário de fechamento de empresas e perda de empregos aconteceu em praticamente todo o ano passado, quando a economia do país caiu 4,1%, mas o estado teve apenas 1,4% de retração, num indicativo claro de que a retomada seria efetiva.
Os analistas econômicos já apontam para um crescimento na ordem de 6% do PIB brasileiro, o que deverá consolidar a recuperação econômica do país em 2021. Se na queda, Pernambuco teve resultado melhor que o país, na retomada a expectativa é que o estado possa ter um crescimento acima da média nacional.
No tocante aos investimentos públicos, o governador Paulo Câmara vem agindo de forma bastante efetiva, contribuindo para melhorar a infraestrutura do estado e garantir que a retomada econômica possa ser ainda mais robusta. As finanças do estado estão completamente estruturadas e receberão aportes significativos com a chegada de novos financiamentos já contratados.
Essa boa expectativa se deu graças a forma em que o governador Paulo Câmara cuidou da pandemia e das finanças do estado, quando melhorou a capacidade de investimento do estado através de uma gestão austera e responsável, o que permitiu Pernambuco ter um desempenho melhor que a maioria dos demais estados da federação.
Com este ambiente extremamente favorável, que já deverá ser percebido ao longo dos próximos meses, Pernambuco se tornará um canteiro de obras públicas e privadas, com a chegada de diversas empresas que estão confiantes na forma em que a pandemia e a economia foram conduzidas no estado. E por isso, o crescimento, já precificado pelas pessoas influentes da economia do nosso estado, deverá fazer de Pernambuco a mola propulsora da retomada econômica no Nordeste.