Terceira dose da vacina protege contra Covid em quase 100%, diz estudo

Um estudo com 1.310 funcionários do Hospital das Clínicas de São Paulo, com apoio do Instituto Todos pela Saúde, mostrou que a terceira dose da vacina contra Covid-19 aumenta a produção de anticorpos para 99,7%, beirando a totalidade de proteção. Os participantes da pesquisa vêm sendo monitorados desde o início da pandemia, e todos receberam as duas primeiras doses de Coronavac e o reforço da Pfizer. A análise de dosagem de anticorpos foi feita duas semanas após a aplicação da terceira dose, e ajuda a medir a taxa de proteção dos imunizantes.
A infectologista do Hospital das Clínicas e autora do estudo, Silvia Figueiredo Costa, explica que se as duas primeiras injeções tiverem sido de outro imunizante, como da AstraZeneca, por exemplo, a resposta dos anticorpos deve ser semelhante. Contudo, os estudos sobre terceira dose ainda são recentes e não é possível confirmar a hipótese.
O reforço não impede as formas leves da doença, mas protege da hospitalização: “Nós não tivemos nenhum caso, no Hospital das Clínicas, que tomou a terceira dose e tenha sido internado”, afirma Silvia, em entrevista à Folha de S. Paulo.
Antes dos voluntários receberem a primeira dose da vacina, a taxa de soroconversão de anticorpos estava em 15,1% e totalmente relacionada ao contato da pessoa com o vírus. Após receberem a primeira dose, em fevereiro, a taxa subiu para 28,9%. Com a segunda dose, em abril, o percentual alcançou 89,5% e neste mês, após o reforço da Pfizer, chegou a 99,7%. Dentre os participantes, apenas quatro pessoas não apresentaram anticorpos contra a Covid-19.
Fonte: Metrópoles

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232