Prévia da inflação tem alta de 0,72% no Grande Recife, mas desacelera comparada a dezembro (0,85%)


A prévia da inflação, através do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15, apresentou queda no Grande Recife neste primeiro mês de 2022, comparado a dezembro de 2021. A alta do IPCA-15 em janeiro de 2022 no Grande Recife foi de 0,72%, contra 0,85% no último mês do ano passado. Neste mês de janeiro, o Grande Recife obteve o quarto maior índice entre as 11 localidades pesquisadas, empatado com Belo Horizonte e abaixo de Salvador (1,08%) e Belém (0,82%). No Brasil, a alta foi menos expressiva, de 0,58%. Os números foram divulgados pelo IBGE na última quarta-feira (26).
No acumulado dos últimos 12 meses, a Região Metropolitana do Recife está na quarta posição, com alta de 10,34%, acima da média brasileira, de 10,20%. A capital pernambucana teve o sexto maior aumento entre as 11 localidades pesquisadas.
O IPCA-15 mede as variações de preço em nove grupos de produtos e serviços. Os preços foram coletados entre 14 de dezembro e 13 de janeiro. Todos tiveram alta, exceto Transportes, que apresentou queda de 0,24%, influenciada pela redução de 1,31% no preço dos combustíveis em geral e pela retração de 2,10% nas passagens aéreas. Esse foi o setor com maior alta acumulada em 2021.
O segmento de Vestuário foi o que apresentou maior variação no IPCA-15, pelo segundo mês consecutivo, com crescimento de 2,18%, impactado pelo aumento de 4,07% no uniforme escolar e de 3,06% nos sapatos femininos. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor está na quinta colocação, com alta de 8,38%.
Artigos de residência (1,73%), Saúde e cuidados pessoais (1,65%) e Comunicação (1,04%) foram os outros três grupos com alta acima de 1% na prévia da inflação deste mês. Alimentação e bebidas (0,78%), Despesas pessoais (0,57%), Habitação (0,4%) e Educação (0,31%) completam a lista dos grupos que registraram alta em janeiro.
Entre os produtos e serviços com maiores reajustes, está a cebola, com variação de preço de 24,96%, entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, além da cenoura, com alta de 17,93%, abacaxi (13,94%), banana-prata (9,12%) e perfumes (8,3%). Já o coentro apresentou a maior queda de preços neste mês (4,65%), seguido pelo arroz (-4,14%), alface (-4,13%) e o cinema, teatro e concertos (-3,27%).
O IPCA-15 refere-se a famílias com rendimentos de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, residentes nas regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Distrito Federal e Goiânia.
Diario de Pernambuco

Betano: Apostas Esportivas - Faça seu Jogo Online

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232