Policiais civis suspendem greve, mas anunciam que vão trabalhar em ‘ritmo mais lento’

Após nove dias de paralisação, o Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) anunciou, nesta quarta (23), a suspensão da greve. Após uma uma passeata no Centro do Recife, a entidade informou que os profissionais rejeitaram a proposta de aumento salarial feita pelo governo. A categoria disse, no entanto, que a ideia é desempenhar as funções em ritmo “mais lento” em “operação-padrão”.
A manifestação ocorreu no dia em que o governo enviou para a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) um projeto de lei com a proposta de aumento salarial de até 20%. Esse percentual tinha sido rejeitado pela categoria na segunda (14), dia da deflagração do movimento.
Os policiais se concentraram na frente do sindicato, por volta das 15h. Eles seguiram pelas ruas centrais da cidade, como a Avenida Cruz Cabugá. No início da noite, realizaram um ato na frente da Alepe.
Diante da apresentação da proposta de reajuste salarial, o presidente da entidade, Rafael Cavalcanti, afirmou que a categoria “decidiria” os rumos da paralisação, após a passeata.
Depois do ato, os integrantes da direção do Sinpol se reuniram para traçar as diretrizes do movimento, a partir da rejeição da proposta de reajuste e do fim da paralisação.
Por telefone, Rafael Cavalcanti informou ao g1 que a greve foi suspensa por causa do alto valor da multa arbitrado pela Justiça, que foi de R$ 300 mil por dia.
Como a categoria rejeitou a proposta salarial, segundo ele, a ideia é manter a mobilização nas delegacias, no Instituto de Medicinal Legal (IML) e no Instituto de Identificação tavares Buril (IITB), responsável pela confecção das carteiras de identidade.
Fonte: G1

Betano: Apostas Esportivas - Faça seu Jogo Online

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232