Belarus diz que Ocidente planeja ataques contra a Rússia

Nesta terça-feira (12), o presidente da República de Belarus, Aleksandr Lukashenko, afirmou que o Ocidente se prepara para um ataque à Rússia através dos territórios da Bielorrússia e da Ucrânia. Segundo a agência oficial bielorussa Belta, Lukashenko ainda revelou que já conversou inclusive a questão com o líder russo Vladimir Putin. “Discutimos isto em pormenor ontem com o presidente russo, sabemos que foram elaborados planos estratégicos para atacar a Rússia”, disse à mídia.
O líder bielorusso também declarou que sob o pretexto de reforço da defesa da Europa e treinamentos defensivos, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) está formando um punho blindado, certamente criado não para se defender. “Os países ocidentais estão realizando operações de reconhecimento em terra e no ar enquanto transferem equipamentos para a Ucrânia. Aparentemente, os novos cruzados da Aliança Atlântica decidiam que é o momento certo para fazer outro avanço no Leste Europeu. Esqueceram de como terminaram campanhas semelhantes levadas a cabo pelos seus antecessores. As ações do Ocidente estão a aproximar o mundo do abismo de uma grande guerra que não pode ter um vencedor”, apontou.
Além disso, em seu discurso numa cerimônia de graduação das academias militares da Bielorrússia, Lukashenko acusou o Ocidente, sob o comando dos EUA, de destruir o sistema de segurança mundial. “Os acontecimentos em curso em torno de Belarus e da Rússia exigem a máxima vigilância e concentração. Os países ocidentais, comandados abertamente pelos Estados Unidos, estão destruindo o sistema de segurança global de forma consistente, sistemática e mesmo em detrimento de seus próprios interesses nacionais e da vontade de seus povos”, mencionou o chefe de Estado.
Desde o inicio da guerra, a República de Belarus se mantém uma forte aliada de Moscou e ofereceu até seu território como base de apoio para as tropas russas. Devido ao seu apoio e à repressão de um movimento de protesto generalizado em 2020, a Bielorrússia tem sido alvo de sanções ocidentais, aumentando consideravelmente sua dependência da Rússia. Em junho, Putin anunciou que iria fornecer a Minsk nos próximos meses mísseis capazes de transportar ogivas nucleares.