Lula, aos 76 anos, disputa Planalto pela 7ª vez e busca 3º mandato

Poder 360
Quando o PT e a federação que o partido integra oficializarem Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como candidato ao Palácio do Planalto, o ex-presidente estará pela 7ª vez na disputa pelo cargo. Ninguém concorreu a tantas eleições presidenciais desde o fim da República Velha (1889-1930).
O partido tomará a decisão em sua convenção nesta quinta-feira (21) e a federação deverá fazer o mesmo em seguida. Ainda assim, Lula só poderá pedir votos explicitamente a partir de 16 de agosto, quando começa oficialmente o período de propaganda eleitoral.
Ele já se candidatou a presidente em 1989, 1994, 1998, 2002, 2006 e 2018. Na última ocasião, estava preso e teve a candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral.
Caso o petista de 76 anos vença a disputa, baterá outro recorde: será o 1º brasileiro a ser eleito presidente da República 3 vezes. De quebra, será o mais velho na posse. Nasceu em 27 de outubro de 1945 e terá 77 anos em uma eventual nova subida na rampa do Palácio do Planalto.
A última pesquisa, divulgada ontem, 20 de julho de 2022, mostra Lula na liderança com 43% das intenções de voto. O principal adversário é o presidente Jair Bolsonaro (PL), com 37%.
O histórico das eleições, porém, indica uma desvantagem para Lula. Todos os presidentes que tentaram reeleição, conseguiram.
Atrás de Getúlio
Quem ficou mais tempo na Presidência da República até hoje foi o gaúcho Getúlio Vargas. O petista não o passará mesmo que seja eleito novamente.
Getúlio, porém, venceu só uma eleição direta. Ele perdeu em 1930 para o paulista Júlio Prestes, que nunca assumiu o cargo.
O gaúcho tomou posse por meio de um movimento armado que ficou conhecido como Revolução de 1930, o sepultamento da República Velha.
Ao assumir a Presidência da República, Getúlio instaurou um governo provisório que durou até 1934. Naquele ano, o presidente foi eleito, mas não pelo conjunto dos eleitores. Foi um pleito indireto, realizado no Congresso.
Havia eleições diretas previstas para 1938. Mas o presidente deu um golpe em 1937. O que veio depois foi a ditadura do Estado Novo. Só em 1945 Getúlio deixou o poder.
A única vitória do gaúcho em uma eleição direta para presidente da República veio depois, em 1950. Impulsionado por sua popularidade junto aos trabalhadores, bateu Eduardo Gomes e Cristiano Machado.
O governo eleito de Getúlio durou de 1951 a 1954, quando o presidente se matou pressionado por uma crise política e militar.
Com a nova candidatura, Lula se mantém como quem mais disputou o poder desde 1945. Caso também se candidate neste ano, José Maria Eymael (PSDC) ficará na cola do petista: terá 6 candidaturas.
Até 1930, quando houve a última eleição direta para presidente da República antes do Estado Novo, os pleitos funcionavam de forma diferente.
Em 1894, na 1ª eleição direta (ainda que com eleitorado restrito) para presidente, não era necessário filiar-se a partido nem oficializar candidatura. O eleitor escrevia o nome que quisesse na cédula.