Bate-Bola com o Apóstolo Pedro - 'Teologia da Prosperidade'

1. Pergunta
Apóstolo Pedro, o que o Sr. acha da teologia da prosperidade no meio cristão nesse século XXI?
R: No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. II Pe 2.1
2. Pergunta
Apóstolo Pedro, temos visto uma grande multidão lotando essas igrejas da prosperidade, o que o Sr. acha disso?
R: Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade. Em sua cobiça, tais mestres os explorarão com histórias que inventaram. Há muito tempo a sua condenação paira sobre eles, e a sua destruição não tarda. II Pe 2.2-3
3. Pergunta
Apóstolo Pedro, vemos também que esses pastores da prosperidade, adoram exibir ser possuidores de grande autoridade e poder contra os demônios, o que o Sr. acha disso?
R: .... Insolentes e arrogantes, tais homens não têm medo de difamar os seres celestiais; contudo, nem os anjos, embora sendo maiores em força e poder, fazem acusações injuriosas contra aqueles seres na presença do Senhor. Mas eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção! II Pe 2.10-12
4. Pergunta
Infelizmente é assim que eles enganam a muitos, não é mesmo?
R: Eles receberão retribuição pela injustiça que causaram. Consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres, quando participam das festas de vocês. II Pe 2.13
5. Pergunta
Apóstolo Pedro, qual a sua opinião com relação a essas campanhas que esses pastores da prosperidade tanto inventam e ensinam nessa famigerada teologia? O que o Sr. pensa sobre esses homens?
R: Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos! Eles abandonaram o caminho reto e se desviaram, seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o salário da injustiça, mas em sua transgressão foi repreendido por uma jumenta, um animal mudo, que falou com voz humana e refreou a insensatez do profeta. Esses homens são fontes sem água e névoas impelidas pela tempestade. A escuridão das trevas lhes está reservada, pois eles, com palavras de vaidosa arrogância e provocando os desejos libertinos da carne, seduzem os que estão quase conseguindo fugir daqueles que vivem no erro. Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção, pois o homem é escravo daquilo que o domina. II Pe 2.14-19
6. Pergunta
Apóstolo Pedro, e pra finalizar, qual alerta o Sr. dá aquelas pessoas que estão se deixando enganar pela corrupção e por todo o engano ensinados pela teologia da prosperidade?
R: Se, tendo escapado das contaminações do mundo por meio do conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, encontram-se novamente nelas enredados e por elas dominados, estão em pior estado do que no princípio. Teria sido melhor que não tivessem conhecido o caminho da justiça, do que, depois de o terem conhecido, voltarem as costas para o santo mandamento que lhes foi transmitido. Confirma-se neles que é verdadeiro o provérbio: "O cão voltou ao seu vômito" e ainda: "A porca lavada voltou a revolver-se na lama". II Pe 2.20-22
Obrigado pela atenção. 
Por Walzenir Carvalho / Imagem Ilustrativa

Share/Bookmark

0 comentários: