Ato nesta sexta marca um ano da chacina de Poção. Associação realiza mapeamento de outros profissionais ameaçados no estado

Morte dos conselheiros completou um ano dia 6
O primeiro ano da chacina ocorrida em Poção, no Agreste de Pernambuco, completado dia 6, terá um ato amanhã a tarde para lembrar a morte de Daniel Farias, 32, Carmen Lúcia Silva, 37, e Lindenberg Nóbrega, 53, e da avó materna da criança de 2 anos que era disputada por duas famílias, Ana Rita Venâncio.
Eles foram mortos a tiros em Arcoverde. Haverá um debate sobre o papel do Conselho Tutelar, com participação de conselheiros de todo o Estado. O ato acontece a partir das 9 da manhã em frente ao Conselho Tutelar de Poção.
O pai e a avó paterna da criança estão presos como os mandantes do crime. A chacina causou grande repercussão no estado e até no país. Foi determinada a criação de um grupo de trabalho para elaborar um manual de procedimentos de segurança para os 5.946 profissionais que atuam no país.
Um mapeamento dos profissionais ameaçados no estado foi elaborado pela Associação Metropolitana de Conselheiros e Ex-Conselheiros Tutelares. De acordo com o presidente Gerailsson Ribeiro, foi levantada a quantidade de pessoas em risco e a gravidade de cada caso.

Share/Bookmark

0 comentários: