Atentado em parque mata ao menos 65 cristãos no Paquistão

Explosão de homem-bomba na cidade de Lahore atingiu local frequentado por famílias e deixou cerca de 300 pessoas feridas
18 Equipes de resgate trabalham para resgatar as vítimas de um ataque a bomba em um parque lotado de cristãos durante as celebrações do Domingo de Páscoa em Lahore, no Paquistão - 27/03/2016 (Foto: Arif Ali/AFP)
Um atentado terrorista matou ao menos 65 pessoas na cidade de Lahore, no Paquistão, neste domingo. Segundo as autoridades locais, a explosão foi provocada por um homem-bomba e aconteceu em um parque público lotado de famílias - a maior parte das vítimas é de mulheres e crianças. Cerca de 300 pessoas ficaram feridas no ataque, muitas em estado crítico. A cidade de Lahore fica na província de Punjab, a maior e mais rica do Paquistão. A região também é reduto político do primeiro-ministro paquistanês Nawaz Sharif.
O grupo terrorista Jaamat-ul-Ahrar, facção dissidente do braço paquistanês do Talibã, reivindicou a autoria do atentado. "O alvo foram os cristãos", disse um porta-voz da milícia, Ehsanullah Ehsan. "Nós quisemos enviar essa mensagem ao primeiro-ministro Nawaz Sharif, de que entramos em Lahore. Ele pode fazer o que quiser, mas nós não iremos parar. Nossos homens-bomba vão continuar esses ataques".
A explosão aconteceu na área de estacionamento do parque, a poucos metros de onde ficam os balanços das crianças. O local estava particularmente movimentado devido ao fim de semana do feriado de Páscoa. Testemunhas disseram ter visto partes de corpos espalhadas pelo estacionamento quando a poeira baixou após a explosão. "A maioria dos mortos e feridos eram mulheres e crianças", disse o superintendente de polícia da região onde fica o parque, Mustansar Feroz.
Em 2014, o Paquistão lançou uma ofensiva contra o Talibã e combatentes jihadistas aliados, para evitar que estes criassem refúgios no país para lançar ataques contra o próprio Paquistão ou o Afeganistão. Punjab tem sido tradicionalmente mais pacífica que outras partes do Paquistão, mas no ano passado uma bomba matou um popular ministro da província e mais oito pessoas em um ataque contra a casa do ministro na região.
(Com agência Reuters)

Share/Bookmark

0 comentários: