UTI neonatal de PE fecha as portas devido a falta de funcionários

A UTI neonatal do Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco (Procape), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, está fechada temporariamente por falta de funcionários. Funcionando como hospital-escola da Universidade de Pernambuco (UPE), o hospital é a maior emergência cardiológica do Estado. A UTI neonatal, que tem capacidade para atender até seis bebês recém-nascidos com problemas no coração, é tida como referência no País.
Rivanildo Simplicio, representante do Sindicato dos Servidores da Universidade de Pernambuco (Sindupe), diz que o fechamento da unidade se deu pela falta de diversos funcionários, entre enfermeiros e médicos. Ele ainda informa que o governo já foi procurado pelo Sindupe para responder sobre a falta de funcionários, mas diz que nunca recebeu um prazo exato referente à contratação desses funcionários.
Os bebês recém-nascidos que estavam internados no Procape foram transferidos para UTI neonatal do Hospital Barão de Lucena, no Cordeiro, Zona Oeste do Recife. As demais crianças internadas que precisarem de tratamento intensivo serão enviadas para outras UTIs públicas da cidade, conforme disponibilidade dos leitos.
Procurada, a assessoria de imprensa do Procape informou em nota que o fechamento temporário da UTI neonatal foi resultado da falta de disponibilidade de profissionais especializados para atender os pacientes, mas não informou quando a unidade vai reabrir.
Confira a nota na íntegra:
“A diretoria do Pronto-Socorro Cardiológico de Pernambuco – Procape/UPE informa que fechará temporariamente, até o final do mês, a UTI Neonatal da unidade hospitalar. Das três crianças internadas, duas serão transferidas para o Hospital das Clínicas. Com relação à outra paciente que chegou ontem ao hospital, a equipe médica irá avaliar se ela será transferida para a enfermaria ou se permanecerá na UTI. Caso haja a necessidade da permanência da paciente na UTI, ela será encaminhada para o hospital que tiver leito vago de acordo com a Central de Regulação de Leitos.
A diretoria do Procape/UPE ressalta que o fechamento do serviço foi resultado da falta de cardiologista pediátrico. O profissional da especialidade entrou de licença médica. A diretoria trabalha para disponibilizar um outro médico do próprio quadro do hospital ou suspender as férias de um outro profissional da especialidade.
As providências estão sendo tomadas para reverter esta situação.”
JC Online

Share/Bookmark

0 comentários: