Adutora do Moxotó vai levar água para cidades do Agreste e Sertão

Sete municípios do Interior do estado serão beneficiados por uma obra estruturadora para melhoria do abastecimento de água. Trata-se da Adutora do Moxotó, um empreendimento hídrico no valor de R$ 85 milhões que vai atender 325 mil pessoas de Arcoverde, no Sertão, e Pesqueira, Alagoinha, Sanharó, Belo Jardim, Tacaimbó e São Bento do Una, no Agreste. A primeira etapa do projeto, orçada em R$ 40 milhões, já está sendo licitada. Quando a empresa que vencer o certame iniciar os trabalhos, a expectativa é que, em 12 meses, essa etapa da obra fique pronta.
A primeira etapa da Adutora do Moxotó consiste na implantação de cerca de 35 km de adutora de ferro fundido de 600 mm de diâmetro. As tubulações irão margear a BR-232, entre as estações de bombeamento EB-1, que fica ao lado do Reservatório de Moxotó, na Transposição do Rio São Francisco, e EB-2, localizada em Cruzeiro do Nordeste. Todo o projeto está dividido em três etapas, totalizando R$ 85 milhões, sendo o Ministério da Integração Nacional a fonte dos recursos. Quando as três etapas forem concluídas, será possível bombear até 450 litros de água por segundo para os 325 mil beneficiados. “Trata-se de uma obra estruturadora que vai levar água do Rio São Francisco para essas sete cidades, que ficarão livres do rodízio de abastecimento”, explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.
O Sistema Adutor do Moxotó, cuja primeira etapa teve a licitação autorizada, começa com a captação no Reservatório de Moxotó, no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, a partir de um canal de aproximação. A barragem, que faz parte do projeto do Governo Federal, já foi construída e fica no distrito de Rio da Barra, em Custódia. Segundo o Ministério da Integração Nacional, a expectativa é que ela comece a receber água do Rio São Francisco até o final deste ano, a partir do avanço das obras do Eixo Leste.
Para jogar essa água para a Adutora do Moxotó, a Compesa vai construir uma Estação de Bombeamento de Água Bruta (EB-1), nas proximidades da barragem de Moxotó. Também vai instalar estações de bombeamento intermediárias (EB-2 e EB-3), que ficarão ao longo do traçado da adutora.
Com comprimento total de aproximadamente 70 km, a Adutora do Moxotó fará a condução da água entre a EB-1 e as Estações de Tratamento de Água (ETA) de Arcoverde, ETA Pesqueira, ETA Sanharó e ETA Belo Jardim, que através do sistema integrado do Bitury transportará água tratada até as cidades de Tacaimbó, São Bento do Una e parte de Sanharó. É na chegada da ETA Arcoverde que a Adutora do Moxotó será interligada ao Sistema Adutor do Agreste, projeto que também está sendo tocado pela Compesa.

Share/Bookmark

0 comentários: