Em Pernambuco, ex-morador de rua convidado a estudar medicina no Canadá é vítima de golpe

Dênis já havia embarcado para o Canadá em 2015 (Foto: Alyne Pinheiro/Divulgação)
Há duas semanas, o estudante pernambucano Dênis José da Silva, 17, recebeu um e-mail de uma convocação de uma universidade do Canadá para cursar medicina e, ainda, receber uma bolsa de 180 mil dólares. Natural de Ribeirão, na Zona da Mata, o jovem ex-morador de rua se apressou em criar uma espécie de vaquinha para custear as passagens e os agasalhos. A crescente euforia para realizar o sonho, no entanto, se desfez quando o jovem descobriu, com a ajuda da Secretaria Estadual de Educação, que o convite era uma farsa. E a confirmação veio da pior maneira possível: os golpistas enviaram um texto com palavras grosseiras.
O convite falso foi descoberto a partir da análise de alguns dados. Faltavam, por exemplo, a data e o endereço da instituição de ensino. Havia erros de inglês no e-mail recebido pelo jovem. Diante disso, Dênis procurou os responsáveis pelo Programa Ganhe o Mundo (PGM), iniciativa do governo de Pernambuco que leva estudantes de escolas públicas do estado, como ele, para estudar no exterior durante um ano. O rapaz morou no país da América do Norte em 2015. “Procuramos a logomarca da universidade na internet, mas não encontramos”, explica Renata Serpa, superintendente do programa Ganhe o Mundo.
Na sexta (8), o jovem foi orientado pela Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco a responder o e-mail enviado pela suposta universidade, já que seria preciso obter um número de matrícula na instituição para conseguir o visto canadense. A resposta à mensagem chegou na segunda-feira (11). E deixava claro que o convite era uma farsa. “Ele recebeu uma mensagem dizendo que tinha sido enganado. O texto continha palavras grosseiras. A situação é inédita, nunca passamos por isso”, comenta Serpa.
Para Dênis, o choque foi grande. Quando soube do convite da universidade, ele se apressou em arrecadar dinheiro para custear as despesas da viagem e dos agasalhos. Criou, inclusive, uma campanha intitulada “Rumo ao Canadá” e arrecadou R$ 29 mil em menos de uma semana. Depois de descobrir que o convite era uma farsa, Dênis garantiu que devolveria os recursos arrecadados.
Ao descobrir que o convite era uma fraude, a felicidade deu lugar à decepção. “Fiquei bem triste porque achava já estava a um passo de conseguir, com quase tudo pronto e aí se descobriu isso, que o e-mail não era do Canadá”, conta o jovem.
Ainda assim, Dênis não pensa em desistir dos sonhos e pretende continuar a rotina de estudos para ingressar no ensino superior. “Continuo triste, mas aprendendo a lidar com isso. Agora é manter a rotina de estudos. São 10 horas por dia, mesmo nessas férias. Vou tentar entrar na UFPE. Pode ser que eu consiga. A luta continua”, crava.
Para Renata Serpa, o caso serve de alerta para outros estudantes que buscam uma vaga em universidades fora do país. “O fato de a instituição ser do exterior não significa que ela é uma faculdade de excelência. Sempre estivemos e continuaremos à disposição dos alunos para esclarecer esse tipo de questão”, explica a superintendente do Ganhe o Mundo.
Na tarde da segunda (11), a Secretaria Estadual de Educação enviou um ofício para a Secretaria de Defesa Social (SDS) para pedir uma investigação do caso. A apuração policial deve ficar a cargo da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, atualmente sob o comando do delegado Roberto Wanderley.

Share/Bookmark

0 comentários: