Sem funcionamento, ambulâncias do Samu começam a virar ‘sucatas’ em cidades do Sertão

O que era para ser uma solução, começa a se transformar numa tremenda dor de cabeça para os gestores de 35 municípios dos sertões do Pajeú, Moxotó e Itaparica. As ambulâncias do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) que deveriam estar servindo a população, começam a ficar sucateadas em alguns município.
Em Floresta, por exemplo, a informação do Blog do Elvis é que a ambulância adquirida em 2014, foi usada pouquíssimas vezes e encontra-se danificada debaixo do sol. Segundo o blogueiro, o município espera que a Central de Regulação, que também estar sem funcionamento em Serra Talhada, fique ativo. O prédio encontra-se pronto e mobiliado às margens da BR-232, mas o prefeito Luciano Duque se recusa a inaugurar alegando que espera pela contrapartida dos governos estadual e federal.
Enquanto isso, as duas ambulâncias de Serra Talhada trabalham de forma precária, uma delas encontra-se na oficina no município de Arcoverde.
A última vez que o prefeito Luciano Duque tocou no assunto foi durante a campanha eleitoral, no mês de setembro, para rebater críticas da ex-secretária de Saúde, Socorro Brito.
“O Samu é uma estratégia regional, de 35 municípios. Eu não ousaria colocar em funcionamento sem que os outros municípios pactuassem os recursos, porque Serra Talhada não pode assumir uma folha de R$ 500 mil. E digo mais: a ex-secretária de Saúde (Socorro Brito) comete um equívoco quando vem dizer na imprensa que o recurso do MAC (alta e média complexidade) poderia ser usado para funcionar o Samu”, declarou Duque.
PE noticias

Share/Bookmark

0 comentários: