Mostrando postagens de Outubro 22, 2016Mostrar tudo

Policiais civis de Pernambuco aceitam proposta e encerram greve

Um dia após decretar greve, os policiais civis de Pernambuco anunciaram o fim da paralisação, na noite desta sexta-feira (21). A categoria, que reivindicava a implantação do Plano de Cargos e Carreiras, aceitou a proposta do governo do estado e ficou decidido que o salário de fim de carreira dos agentes da Polícia Civil vai se igualar ao piso dos delegados. O reajuste começa a ser implementado em janeiro de 2017 e deve ser concluído até dezembro de 2018.
De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), o projeto será enviado para aprovação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) até o dia 20 de novembro, prazo limite para o envio de projetos que impactam no orçamento de 2017.
Do G1 PE

Agência dos Correios de Água Branca é assaltada

Na manhã desta sexta-feira (21), a agência dos Correios da cidade de Água Branca, no Sertão da Paraíba, mais mais uma vez foi vítima da ação criminosa de bandidos, que aguardaram os funcionários a abrirem para o início do expediente e os surpreenderam com o anúncio do assalto.
Enquanto os assaltantes vasculhavam a agência em busca de dinheiro, os funcionários tiveram suas mãos presas por 'enforca-gatos', mas não havia nenhuma quantia no momento do assalto, uma vez que o Banco Postal está com seus serviços suspensos por conta do último assalto realizado no dia 12 de julho deste ano.
Contudo, os bandidos não perderam a viagem e levaram os aparelhos celulares dos funcionários da agência, que, após pedirem ajuda aos populares que passavam em frente à agência para que soltassem suas mãos dos 'enforca-gatos', chamaram o policiamento local para o procedimento das medidas cabíveis. Até o momento, não se sabe em que e como os acusados fugiram.
Juru em Destaque

Compesa e Polícia Militar realizam ação para identificar ligações clandestinas no Sertão

Atenta ao aumento de furtos de água ao logo das adutoras, durante o verão, quando as temperaturas costumam estar mais elevadas, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) planejou ações de fiscalização no Sistema Adutor do Salgueiro, no trecho compreendido entre a cidade de Cabrobó e a Estação Elevatória III, situada na serra de Monte Santo, no município de Cabrobó, Sertão do Estado de Pernambuco.
A operação, que iniciou no último dia 18 e se encerrou nesta sexta-feira (21), contou com o apoio da Policia Militar e percorreu oito quilômetros do referido trecho, o qual possui um total de 26 quilômetros.
Durante quatro dias, as equipes de manutenção da Compesa, juntamente com a Polícia Militar identificaram 17 ligações clandestinas, todas no município de Cabrobó, e recolheram mais de 1,2 mil metros de tubulações e mangueiras utilizados para furto de água, objetivando enchimento de barreiros e irrigação de plantações de macaxeira e capim. Só em uma única propriedade foram retirados e apreendidos quase mil metros de canos de 32mm de diâmetro. Nessa operação não foi registrado nenhum flagrante.
“Os infratores perfuram a adutora de aço e instalam tubulações, que são enterradas. O uso da água é feito geralmente a partir de mil metros de distância do local por onde passa a adutora da Compesa, distante do nosso campo visual, o que dificulta a identificação dos furtos. Precisamos percorrer uma grande área, entrando nas propriedades, para achar as ligações clandestinas” explica Januário Nunes de Carvalho, gerente da GNR Sertão Central, acrescentando que essas ações são rotineiras no Sistema Adutor de Salgueiro, desde o ano de 2012.
De acordo com o gerente da Compesa, a presença da Polícia Militar juntamente com as equipes de fiscalização gera um efeito positivo que inibe a ocorrência de novos furtos e levam a própria população infratora a desligar as ligações clandestinas. Antes da ação, a cidade de Salgueiro estava recebendo uma vazão média de 125 l/s, o que prejudicou o abastecimento de água da referida cidade, bem como o cumprimento do calendário de abastecimento para todos os setores – que é de até dois dias com água por cinco dias sem. Após a ação de fiscalização, a vazão aumentou de forma significativa e passou para 150 l/s.