PF prende mais dois suspeitos de hackear Moro e outras autoridades

A 2ª fase da Operação Spoofing foi deflagrada nesta quinta-feira (19) pela Polícia Federal. A operação investiga a invasão de dispositivos eletrônicos de autoridades e a prática de crimes cibernéticos.
Os policiais federais cumpriram dois mandados de prisão temporária e outros de busca e apreensão em endereços de pessoas ligadas à organização criminosa investigada.
As diligências foram realizadas na capital paulista e em Sertãozinho, em São Paulo, e Brasília, no Distrito Federal.
Primeira fase: A primeira fase da Operação Spoofing foi deflagrada no dia 23 de julho e resultou na prisão de quatro suspeitos de acessar, sem autorização, o telefone celular do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Os detidos também são suspeitos de terem interceptado e divulgado parte das comunicações do ministro.
Após a operação, em coletiva à imprensa, a Polícia Federal informou que cerca de mil números telefônicos diferentes podem ter sido alvo da quadrilha suspeita de hackear o aplicativo de mensagens Telegram De acordo com a polícia, o celular do presidente Jair Bolsonaro também foi alvo dos hackers.
A Polícia Federal afirmou também que a investigação é conduzida desde pelo menos abril, quando procuradores da Força Tarefa da Lava Jato passaram a relatar algumas ligações recebidas em seus aparelhos originadas do próprio número. Em junho, Moro e outras autoridades informaram ocorrência semelhante.
A polícia conseguiu então chegar aos números de IP, que são relacionados à conexão à internet, dos dispositivos que supostamente executaram os ataques. (Via: Agência Brasil)