'É preciso dizer que o Brasil precisa agir', diz André Longo sobre controle das variantes

A confirmação dos primeiros casos da variante indiana do novo coronavírus no Brasil, nesta quinta-feira (20), no estado do Maranhão, acendeu o sinal de alerta sobre o contágio do novo coronavírus no País. Em coletiva realizada na tarde desta quinta (20), o secretário estadual de Saúde, André Longo, avaliou o impacto dessa nova cepa na estratégia de combate à pandemia e procurou apontar a responsabilidades pela entrada dessa variante no Brasil.
"As variantes são sempre uma preocupação. Se o mundo estava preocupado com as variantes brasileira, seria muito importante que o Brasil estivesse também estivesse preocupado com as variantes que surgem em outros continentes", avaliou Longo. Segundo ele, apesar da orientação da Anvisa com o reforço das barreiras sanitárias na entrada de estrangeiros, o governo demorou para proteger portos e aeroportos.
"É preciso dizer que o Brasil precisa agir, pois o controle de portos e aeroporto é de reponsabilidade do governo federal, para conter ou pelo menos retardar a disseminação dessas variantes", disse. Segundo Longo, Pernambuco participou de uma reunião com o Ministério da Saúde - onde foi comunicado a detecção da variante no Maranhão, que informou que está atuando para bloquear a disseminação da nova cepa. "Há toda uma vigilância sendo feita com apoio do Ministério da Saúde. Esperamos que isso possa ser contido", afirmou.
"Hoje é fundamental um esforço do governo federal no sentido de uma vigilância mais efetiva para conter novas vartiantes que estão já trazendo repercussão da doença em outros países", cobrou o secretário.
Maranhão: A variante B.1.617 foi detectada em seis amostras coletadas em tripulantes do navio MV Shandong da ZHI, com bandeira de Hong Kong, ancorado em alto-mar na costa de São Luís, desde o dia 7 de maio.
Um dos tripulantes da embarcação, de nacionalidade indiana, está internado em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital particular de São Luís desde o sábado passado (15). Ele precisou ser levado de helicóptero do navio até a unidade de saúde.
CPI da Pandemia: Reforçando as medidas adotadas em Pernambuco desde o início da crise sanitária, André Longo afirmou que o estado "sempre resistiu ao negacionismo e seguiu a ciência". Ele disse, ainda, que em relação às informações que serão prestadas pelo Governo de Pernambuco à CPI da Pandemia, que está sendo realizada pelo Senado, haverá "transparência" na prestação de conta ao parlamento.
"A gente entende que a CPI está seguindo um propósito e tem obrigação de acompanhar as ações do Governo federal e também seguir os recursos que foram repassados aos estados. Pernambuco sempre foi muito transparente. Temos um núcleo gestor que está trabalhando para enviar todas as informações. A determinação do governador Paulo Câmara é que a gente preste todas as infomação solicitadas pelos senadores. (Via: Portal Folha PE)