Fiocruz diz que número de óbitos por Covid-19 pode ser ainda maior nas próximas semanas

O boletim do Observatório Fiocruz Covid-19 desta semana revela que o índice elevado de transmissão do novo coronavírus no país pode produzir um número ainda maior de casos graves e de óbitos nas próximas semanas.
O intervalo entre os dias 13 e 19 de junho marcou a terceira semana consecutiva de alta nas taxas de mortalidade e de incidência da Covid-19, com uma média diária de 72.700 casos e 2.070 óbitos. O número de casos aumentou cerca de 1,3% ao dia no período, e o número de mortes, 0,8% ao dia.
Os pesquisadores da Fiocruz destacam que esse aumento costuma ser seguido pela alta no número de óbitos após duas semanas, o que projeta a manutenção da tendência de alta de mortalidade ao longo do mês de junho.
A taxa de letalidade da doença no Brasil, por sua vez, é de 3% -um índice considerado elevado quando comparado a outros países e com os valores registrados no fim de 2020, que oscilaram em torno de 2%. A insuficiência de testes e a falha na identificação e no tratamento de quadros graves podem explicar o percentual.
"O que assistimos no primeiro semestre de 2021 foi um processo de aceleração de casos e óbitos que o país ainda não tinha vivenciado", afirma o observatório.
Se no primeiro ano da epidemia foram necessários intervalos de cinco meses para alcançar as marcas de 100 e 200 mil óbitos, foram contabilizados mais de 100 mil mortes apenas entre 29 de abril e 19 de junho, o que levou o país à trágica marca de 500 mil vítimas da Covid-19 na semana passada.
Com cerca de 2,7% da população mundial, o Brasil contabiliza aproximadamente 10% do total de casos registrados em todo o mundo, atingindo em alguns períodos a marca de 15%, segundo a Fiocruz.
Já em relação aos óbitos, desde junho o país responde por pelo menos cerca de 10% do total das mortes ocorridas no mundo. No fim de março deste ano, o país chegou a registrar um terço do total mundial de vítimas da Covid-19. "Os dados mais recentes apontam que de cada cinco mortes por Covid-19 que ocorrem no mundo, uma ocorre no Brasil", diz a Fiocruz.