Polícia Federal e o reforço no combate aos crimes em Pernambuco

Apesar da pandemia do novo coronavírus e das restrições sanitárias, a Polícia Federal (PF) em Pernambuco conseguiu manter o trabalho de repressão aos crimes ao longo de 2020. E, entre todas as unidades do País, foi a que mais realizou operações de combate à corrupção. A superintendente regional da PF no Estado, a delegada federal Carla Patrícia Cintra, atribui o resultado ao esforço dos profissionais da segurança para evitar os desvios de recursos públicos.
“Se por um tempo foi preciso recuar, por causa da pandemia, a gente aproveitou para ajustar questões administrativas, inclusive da parte estrutural da Polícia Federal. A partir do momento em que se teve um domínio maior de como agir, nós retomamos nossa atividade operacional, inclusive com trabalho preventivo. Nossa delegacia de combate à corrupção recebeu um prêmio graças ao trabalho realizado, com a identificação de autoria e materialidade dos casos investigados. Isso que é mais importante”, avalia.
Ao longo de 2020, prefeituras – entre elas a do Recife – foram alvo de operações que investigaram supostos desvios de recursos públicos que deveriam ser usados no combate à covid-19. Milhões de reais teriam saído dos cofres públicos para as contas bancárias de gestores públicos e empresários. Alguns desses inquéritos continuam em andamento e podem ter desdobramentos, a depender das provas colhidas pelos investigadores.
INTERPOL
A Polícia Federal é a representante da Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) no Brasil. Uma rede de cooperação, em que há troca de informações entre os países filiados. Um exemplo desse trabalho conjunto é que a PF no Estado conseguiu descobrir, no mês passado, o paradeiro do menino Carlos Boudoux, 13 anos, que foi levado pelo pai para a Argentina em 2015. Nesta terça-feira (09), após mais de cinco anos, Carlinhos voltou a Pernambuco e já está com a família.
“Ele foi localizado através do lançamento de um alerta no sistema mundial e houve manifestação da entrada do suspeito do sequestro no país vizinho. Com um trabalho de inteligência policial, foi possível a localização da criança”, diz a superintendente.
Graças à cooperação internacional, também são possíveis as extradições de criminosos. Em Pernambuco, atualmente, há três pedidos em andamento – um da Colômbia, um da Alemanha e um da Suíça. Todos de criminosos envolvidos com tráfico de drogas. “O processo é feito com muito rigor, e envolve o Ministério da Justiça e até o Supremo Tribunal Federal”, conta Carla Patrícia.
TRÁFICO
Em 2020, a PF em Pernambuco também conseguiu recorde de apreensão de cocaína. Ao todo, 1.152 kg da droga. E esse trabalho será fortalecido neste ano, promete a superintendente. “Uma das nossas diretrizes é o combate ao entorpecente. Por aqui (em Pernambuco), passa muita cocaína, que chega possivelmente por fronteiras terrestres. Aqui, geograficamente é um ponto interessante de remessa dessa droga. É uma questão urgente combater o tráfico e as organizações criminosas”, diz.

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232