Governo estuda dar botijão de gás para beneficiários do Bolsa Família, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (27), que o governo estuda entregar um botijão de gás a cada 2 meses a beneficiários do Bolsa Família, por conta da alta no preço dos combustíveis. Segundo o presidente, a medida dependeria de recursos da Petrobras. O chefe do Executivo participou de uma entrevista ao programa “Direto ao Ponto”, da rádio Jovem Pan.
Bolsonaro disse que a Petrobras é uma empresa bem administrada e “muitíssimo” lucrativa, e que não pode interferir na estatal. Segundo presidente, a alta no valor da gasolina e a inflação de alimentos são fenômenos que acontecem no mundo todo.
Ele criticou o ICMS, um tributo estadual, que incide sobre os combustíveis, ao citar que zerou os impostos federais para o produto. Segundo Bolsonaro, “a briga” é com os governadores para redução do ICMS ou para transformação do imposto em um valor fixo, em vez de um percentual, como é hoje.
O presidente disse que recorreu ao Supremo Tribunal Federal para que a Corte determine ao Congresso um prazo para regulamentação de uma Emenda Constitucional com essa proposta. “O percentual é bitributado”, afirmou.
Sobre cobrança extra na conta de luz, disse que a bandeira vermelha “não é maldade”. “É porque a matriz energética passou a ser termelétrica”.
Bolsonaro também declarou que “grande parte” dos precatórios é resultado de “armação”. As dívidas do governo reconhecidas pela Justiça somam cerca de R$ 89 bilhões em 2022. “Se tiver que pagar todos os precatórios ano que vem, não tem orçamento”.
O presidente disse que a credibilidade do sistema eleitoral está relacionada com a participação de entidades em uma comissão para acompanhar as eleições. A medida foi implementada pelo Tribunal Superior Eleitoral. “Uma das instituições são as nossas Forças Armadas, então já estamos [participando] via ministro Braga Netto [ministro da Defesa]”.
“As Forças Armadas não estão tutelando ninguém. Hoje em dia muita gente teme a volta da esquerda. Se voltar pelo voto, paciência. Mas que seja um voto realmente transparente. Alguns reclamam que não valeu de nada [as manifestações do] 7 de Setembro. Valeu sim, porque provocou o ministro [Roberto] Barroso a tomar medidas”.
Disse que não pode garantir que não haverá racionamento de energia elétrica no país, e que o remédio para combater inflação “não pode ser só subir taxa de juros”. “Inflação é com o BC [Banco Central] independente. Eu converso uma vez por semana com o Roberto Campos, porque eu sou um zero à esquerda em economia”.
O chefe do Executivo reclamou da demora do Senado em marcar a sabatina do ex-advogado-geral da União André Mendonça para uma vaga no STF. Disse que, caso seu nome seja rejeitado, indicará outro evangélico. “Quero de um ministro do Supremo as pautas de costumes, a questão da economia, estamos aí com o Marco Temporal, conversamos com [o presidente do STF Luiz] Fux”.
“O André sabe a Bíblia toda e sabe a Constituição muito bem. Ele é alguém que tem tudo para dar certo”.
Disse que ainda não é candidato à reeleição no pleito do 2022. Caso dispute, disse que será “um prazer” debater com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

ANÚNCIOS WEB SERTÃO - (87) 98821-5232