Pernambuco tem saldo negativo na geração de empregos em março

Pernambuco registrou uma leve queda na geração de empregos no mês de março, segundo o Novo Caged, (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Ministério da Economia. No total, foram gerados no Estado, 35.392 empregos de carteira assinada e feitas 38.154 demissões, resultando num saldo negativo 2.762 vagas, diminuição de 0,22%.
O Brasil gerou 184.140 postos de trabalho com carteira assinada em março deste ano, resultado de 1.608.007 admissões e de 1.423.867 desligamentos de empregos com carteira assinada. O estoque de empregos formais no país, que é a quantidade total de vínculos celetistas ativos, chegou a 40.200.042, em março, o que representa uma variação de 1,46% em relação ao mês anterior. No acumulado de 2021, foi registrado saldo de 837.074 empregos, decorrente de 4.940.568 admissões e de 4.103.494 desligamentos até março.
Pernambuco – No mês passado, os dados apresentam saldo positivo no nível de emprego em dois dos cinco grupamentos de atividades econômicas. Os setores que mais criaram vagas formais foram o de serviços, com saldo de 1.070 empregos (16.341 admissões para 15.271 desligamentos), e o da construção com saldo positivo de 573 vagas (3.947 contratações para 3.374 demissões).
Já três setores desempregaram mais do contrataram no Estado. Foram eles, a indústria, que apresentou saldo negativo 2.664 vagas (5.131 admissões para 7.795 desligamentos) e a agropecuária, com saldo negativo de 1.689 vagas (2.269 trabalhadores admitidos para 3.958 desligados). O comércio teve uma queda pequena no número de empregos gerados em relação às demissões, (7.704 contratados para 7.756 demitidos), ou -0,02%.